LINDO! MAS E EU COM ISSO?

Comportamento
19/04/2017

Pode parecer uma grosseria mas é apenas um convite para uma observação sobre seu estilo, rs. Eu ainda não comecei a falar sobre a questão dos estilos, que é um dos âmbitos trabalhados no processo de Consultoria de Imagem. Mas a cada cliente eu noto o quanto isso é importante, sobretudo hoje em dia, na era digital. Calma que eu explico…

Estilo Pessoal

Estamos expostas a tantas, tantas coisas… Muita informação mesmo! E dentre elas, muitos itens legais, que acabam nos cativando. Com isso, algumas vezes perdemos um pouco a bússola de quem nós somos. Hoje a Kylie Jenner usou um vestido lindo em tons terrosos, todo adesivo. Amanhã a Gigi Hadid coloca um boné belíssimo. Mais tarde, a Olivia Palermo veste a mais perfeita obra de alfaiataria. Um tempo depois, Emma Stone aparece num red carpet com um longo bordado com feitio vintage. Nesta sequência de referências que nos bombardeiam várias vezes ao dia, às vezes fica difícil lembrar o que nos agrada de fato, o que entra no nosso estilo. 

Estilo pessoal

Sempre que eu faço a Análise de Estilo, na maioria das vezes ou a pessoa é exclusivamente básica, o que pode acabar sem personalidade, ou a cliente usa absolutamente todas as referências… O que a deixa sem personalidade também. Veja bem, longe de mim querer restringir – peça a peça – o que alguém vai vestir. Sou sempre a favor da liberdade. Não é tanto “o que não fazer” e sim o “como fazer“. Ainda assim, claro que alguns elementos acabam limados ao definir o estilo pessoal. 

No meu caso, por exemplo, não sou nada romântica. Acho que nem combina muito com uma mulher na minha escala (ou meu senso de humor), rs. Por conta disso, eu provavelmente não usarei uma blusa de lacinhos ou de babadinhos. Por outro lado, eu até já escrevi um post sobre como usar a tendência dos babados para quem não é de estilo romântico. Era praticamente um post para mim mesma.

Irmãs, quase da mesma idade, modelos… E cada uma na sua. Você saberia diferenciar Gigi e Bella Hadid mesmo sem as cabeças, né?

Em suma, meu ponto é: bonito é bom… Mas tem a sua cara? Pode ficar com a sua cara? Eu sei que para isso é importante se reconhecer primeiro – o que pode ser um desafio bem difícil. Minha dica é justamente começar a diferenciar o que a gente acha lindo e o que a gente gostaria de usar. Em uma pergunta: Te representa? E isso vale desde o vestidinho da Kylie Jenner, até a nossa identidade como um todo. E um dos melhores efeitos colaterais de pensar desta forma é que você começa a gastar com muito mais propriedade e consciência. Eventualmente, gastar menos. O moço da Forever21 já recebe dinheiro o bastante de todas nós, certo?

PS: Sei que tenho postado pouco, mas o lado bom de tanto trabalho no offline é que ele me dá muitas ideias do que abordar por aqui, para ajudar mais gente. Nos próximos dias vou retomar o ritmo por aqui. Prometo!

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

O CÃO É O MELHOR AMIGO DO HOMEM. O DRAPEADO, O DA MULHER
PROGRAMAS DE TRANFORMAÇÃO X CONSULTORIA DE IMAGEM
O CORTE DE CABELO QUE MUDOU A MINHA VIDA – E A SUA
BRITNEY SPEARS E A SUPERAÇÃO DO TRIÂNGULO INVERTIDO

O BATOM VERMELHO DE CADA CONTRASTE

Beleza
12/04/2017

É uma realidade triste: mas nem todas as cartelas da análise cromática têm a cor vermelha. Isso significa que nem todas serão valorizadas pelo clássico dos clássicos. De 12 cartelas, umas 3 não têm nenhum tom da cor. Mas as pesquisas acerca da percepção do batom vermelho só indicam benefícios. O departamento de R&D da Chanel concluiu numa pesquisa que lábios rubros são um indicativo de juventude/vitalidade (sobrancelhas marcadas também, caso alguém queira saber, rs). Uma outra pesquisa com garçonetes apontou que as moças de batom vermelho ganhavam mais gorjetas – e era só com esta cor, o rosa não mudou nada. 

Então como proceder para achar seu batom vermelho ideal? Mesmo que você não tenha essa cor na cartela? Minha recomendação é se orientar pelos contrastes. Observando a harmonia entre o tom de pele, cabelo, olhos e sobrancelhas, dá para chegar numa receita de sucesso, ainda que aproximada. Saber se seu tom de pele é quente, frio ou neutro também ajuda, mas isso vai um pouco além do que podemos saber sem uma análise cromática, rs. Usando o contraste como referência, eis algumas ideias do que eu faria:

Sugestão: De Propósito – Maybelline

Alto contraste: Batom vermelho vivo ou em tons escuros, bem distantes do tom da pele. Quanto mais diferença com a pele, melhor. Eu sou Alto contraste e o batom que eu mais uso ultimamente é o De Propósito, da Maybelline, de fundo neutro (acredito eu). Olha como uma cor bem saturada fica bem para quem tem essas características.

 

Sugestão: Ruby Woo – MAC

Médio-Alto Contraste: Eu gosto de dizer que o Contraste é como o ponto da carne. Existe um meio-termo. Para quem está entre o médio e o alto, um tom vivo, apenas mais fechado como o Ruby Woo da MAC, por exemplo é uma boa pedida. Mas vale lembrar que ele tem uma pitada mais fria no pigmento. Se você sabe que é quente, encontre um equivalente mais puxado para o laranja que para o rosa.

batom vermelho

Sugestão: Jeanne – Nars

Médio Contraste: nesta etapa, gostaria de lembrar que contraste é relativo. A Kim já teve vários, ao mudar mais que um camaleão. Então se oriente por esta foto. Além disso, existem vários tipos de médio contraste. Alguém mais branca que a Kim, com o cabelo também mais claro, pode ter a mesma característica. Pense numa Emma Watson, por exemplo. Por isso, o batom vermelho é relativo também. Para a Kim, um como o Jeanne da Nars, que faz um contraponto com a pele dela, mas não muito alto. Se fosse a Emma Watson, o batom teria que ser mais claro também. 

Sugestão: Vermelhou – Quem disse Berenice?

Médio-Baixo Contraste: A própria Zendaya muda bastante, mas alguém com tom de pele bem próximo ao do cabelo e afins, fica por ali, entre o médio e o baixo contraste. O batom vermelho dela segue a mesma lógica, algo próximo do tom de pele. Ou seja, algum como o Vermelhou da Quem Disse Berenice?, que não é nem muito escuro, nem muito vibrante

batom vermelho

Sugestão: Cereja Intenso – Avon

Baixo Contraste (branca): Esse é o mais difícil para mim. Isso porque o vermelho sempre vai acabar destoando de alguém como a Amanda Seyfried. Mas minha sugestão é encontrar algo o menos vibrante possível, sem ser escuro. Algo como o Cereja Intenso da Avon. Eu nunca vi esse batom ao vivo, infelizmente. Pelas resenhas na web, era o que mais se encaixava na minha pesquisa. Mas vale procurar algo assim como na foto.

 

Sugestão: Leo- Kylie Cosmetics

Baixo contraste (negra): Lupita sempre me salva da escassez de fotos de meninas negras no Pinterest (ou talvez eu nunca tenha descoberto como procurar). No caso de mulheres de baixo contraste que são negras, a lógica se inverte um pouco. Os batons de tons mais fechados são os melhores, porque se aproximam mais do tom de pele. Mas nada vibrante, como no caso anterior. O Leo da Kylie Cosmetics me parece uma boa opção.

Sei que estou devendo um  post mais abrangente sobre contrastes, mas acredito que esse já dá uma boa noção nas explicações. Claro que, no caso de uma análise cromática, os contrastes são informações complementares. Ou seja, é importante conciliar ambos. Até porque, duas pessoas bem diferentes podem ter uma mesma cartela – porque o que conta para a análise é a pele. O resto a gente ajusta em função dela. Por ora, para quem nunca fez análise cromática, os contrastes já vão ajudar bastante!

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

SE ESSE CABELO FOSSE MEU :: DAKOTA JOHNSON
O MELHOR BATOM DO MUNDO
BABYLIGHTS E A SUA COLORAÇÃO
SE ESSE CABELO FOSSE MEU :: KATY PERRY

DO CASUAL AO ALINHADO EM 5 MINUTOS

Consultoria de Imagem
10/04/2017

Ou quase isso! Existe algo que eu vivo falando para as minhas clientes e que eu aplico muito na minha própria vida: use o styling para ter mais versatilidade no armário e assim você precisará de menos peças. Nesta sexta-feira eu tinha um dilema de cronograma e vestuário que resolvi usando esta mesma recomendação. Eu trabalharia a manhã e a tarde toda na casa de um cliente… E às 19h30 eu tinha um casamento! Precisava passar do casual ao alinhado e passar em casa era impossível. Então como fazer?

No meu caso, peguei meu vestido mais curinga, um modelito de tricô com lurex da Gig que já usei inúmeras vezes – que não amassa e é totalmente confortável. Para o trabalho, coloquei com uma rasteira, colar de resina e bolsa tiracolo. Para o casamento, subi num salto, peguei uma clutch, troquei o colar por um brinco exuberante e refiz a make. Funcionou perfeitamente! Cheguei no meio da cerimônia, mas deu certo, rs. Só não deu tempo de fazer fotos, desculpa gente!

Não existe segredo, pela minha experiência, é apenas adequar a produção mudando os complementos. Mas se eu fosse eleger três pontos cruciais, estes seriam o sapato, a bolsa e a terceira peça. Claro que maquiagem, cabelo e bijoux também ajudam, mas esses três são mais significativos, creio eu. Assim você consegue usar vestidos de festa no dia-a-dia ou consegue usar vestido casual em ocasiões mais alinhadas, por exemplo. E não se restringe apenas a vestidos. 

Exemplo #1

Exemplo #2

Exemplo #3 

A maior vantagem deste recurso para mim é que, assim você não precisa ter tantas roupas no armário, já que cada uma vai render mais produções – mesmo em ocasiões inesperadas. Basta pensar um pouquinho fora da caixa e bolar soluções criativas. Lembrando que a maioria das vezes que alguém me diz “não tenho roupa“, na maioria das vezes essa pessoa tem roupas demais. Vale mais um guarda-roupa inteligente do que um armário lotado!

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

CALOR :: ESTILO EM DUAS PEÇAS
RIO BLACK BOOK :: OS BIQUINIS DA REDLEY + AMÚ
A COLEÇÃO DE TÊNIS DA FARM
TRUQUE DE SILHUETA :: PULSOS DE FORA