7 CRITÉRIOS ESSENCIAIS PARA IDENTIFICAR UMA BOA COMPRA

Consultoria de Imagem
24/04/2017

Geralmente, existem dois tipos de cliente quando o departamento é compra: ou a pessoa não gosta de ir ao shopping e não sabe o que escolher ou ama fazer compra e não sabe a hora de parar. Meio-termo existe, mas não é a maioria, rs. De certa forma, acho que esses dois perfis, apesar de extremos opostos, sofrem de um mal similar: dificuldade para identificar o que é de fato uma boa aquisição. Muita gente ainda não conseguiu definir os critérios para determinar o que constitui uma real boa compra. Como você decide o que vale a pena levar?

 

Com o tamanho da oferta e variedade, fica mesmo difícil ter clareza na hora da compra. Alguns acabam levando de tudo e tem gente que sempre leva a mesma coisa (isso quando não desiste e vai embora). Existem ainda ciladas como promoções, descontos progressivos… Quer coisa mais sedutora que “30% de desconto na segunda peça”? Por outro lado, será que você precisava mesmo de duas botas novas? Ou dois maiôs? A melhor maneira de pensar uma compra é se fazendo uma sequência de perguntas importantes:

Eu preciso disso? Quando você vai ao supermercado, geralmente, vai atrás do que está em falta na despensa, certo? Do contrário você acaba com 35 pacotes de molho de tomate. Por que com roupas seria diferente? Identifique o que está fazendo falta no armário antes de comprar mais uma camiseta branca – ou scarpin colorido. Na maioria das vezes o que falta às pessoas são as peças conectoras, que fazem as demais funcionarem: uma boa terceira peça, uma parte de baixo curinga, etc..

“Eu posso precisar um dia”: observe que o item acima usa o verbo “precisar” no tempo presente. O pior pretexto para comprar algo, na minha opinião, é a tal suposta demanda futura. Na maioria das vezes essa ocasião nunca chega. E muitas vezes, quando chega, você acaba comprando algo novo para essa demanda e nem lembra que um dia já tinha antecipado essa circunstância. Única exceção: roupa de estação. O fim do inverno pode ser uma boa oportunidade para comprar uma bota ou casaco na promoção – caso você precise mesmo de novos. Ou seja, a margem é de no máximo 6 meses, rs. 

Preço não define compra: uma peça barata que vai encalhar no seu armário não é oportunidade, é prejuízo. Lobo em pele de cordeiro. Existem sim muitos achados maravilhosos por aí. Mas lembrem que muitas vezes o que sobrou na promoção sobrou por algum motivo, rs. 

É amor? Você gostou mesmo ou só quer se premiar com uma comprinha qualquer? Ou gostou mesmo foi do preço?

O amor é correspondido? Eu amo batom coral. Mas o batom coral me odeia, profundamente. Uma visão de horror. Por isso, eu não compro batom coral, ele não merece meu amor. Dei um exemplo óbvio aqui, mas serve para qualquer item que não corresponda ao seu sentimento. Amor só deve fazer bem para nós… E isso não vale apenas para roupas, curiosamente.

Relação custo x benefício: leia a etiqueta de composição. O preço tem que ser compatível com o material e/ou com a complexidade da peça. Materiais naturais valem mais. Bordados contam pontos. 

Relação custo x uso: avalie a versatilidade da peça. Mesmo que seja uma roupa simples, se você vai usar toda semana, pode ser vantagem. Se for vestir uma vez por ano, não vale. Eu poderia ter pago 10 salários mínimos no meu cardigã prateado e ele ainda teria sido barato. Levo comigo quase todo dia! Felizmente, foi tipo R$120,00 na época… 

O país está em crise e é uma boa hora para começar a comprar com mais consciência e sabedoria. Isso não quer dizer que você precisa ser exclusivamente racional na hora de fazer uma aquisição. Às vezes a paixão (correspondida) por um vestido ou sapato podem ser suficientes para você tomar uma decisão. Contanto que isso não aconteça todas as vezes, não faz mal à saúde não, rs. Mas, no geral, vale ficar atento à essas perguntas para não cair nos velhos hábitos. E, para quem tem dificuldade em escolher ou sair da rotina, se uma peça atender à maioria desses requisitos, serve como uma “validação” de que a compra compensa. Assim fica mais fácil decidir. 

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

O TAL DO “NÃO PODE”…
DE QUANTA ROUPA VOCÊ PRECISA?
O PODER TRANSFORMADOR DA TERCEIRA PEÇA + SAPATO
CORES QUENTES X CORES FRIAS
  1. Gabriela Lopes Em 24/04/2017

    Como de praxe, excelente post!
    Seu blog vai além dos outros, é muito bom mesmo!


    Responder

  2. Silvia Em 24/04/2017

    Eu tenho que tomar MUITO cuidado com as camisetas “baratinhas” de filmes, se não eu acabo com um monte desnecessárias que só uso UMA vez. Então tenho que escolher qualidade, preço e como você disse quanto eu vou usar no futuro. E isso com camisetas!!!! Imagina o resto, risos, ainda bem que ando bem mais controlada. Só não posso ver um macacão na minha frente 😉

    Excelente post!

    Beijos!


    Responder

  3. Barbara Em 25/04/2017

    Gabi,
    salvei nos meus favoritos e vou adotar como mantra as perguntas!rs
    Eu sou do time do exagero, da falta de foco, descontos progressivos, armário abarrotado… 🙁 Viu como preciso de você? O curso ainda não acabou, assim que acabar irei entrar em contato de novo para combinarmos.
    beijão


    Responder

  4. Gabriela Em 25/04/2017

    Ótimo post. Já estou me acostumando a ler as etiquetas antes de comprar. http://www.alemdolookdodia.com


    Responder

  5. Pingback: Links Interessantes – Jú Figueiredo

  6. Pingback: XODÓ :: CLUTCH DE PALHA | CONSULTORIA DE IMAGEM

  7. Pingback: CUIDADO COM A LIQUIDAÇÃO! | Consultoria de Imagem