A ROUPA DE BAIXO QUE É SUA MELHOR AMIGA

Estilo
04/04/2017

Literalmente. Calma que eu explico! Desde muito nova, sempre tive problemas ao usar saias. Se não era o vento me proporcionando um momento Marilyn ou a transparência, eram algumas dificuldades técnicas relacionadas ao atrito das coxas (quem sabe, sabe!) rs. Mas todos os meus problemas se resolveram quando descobri uma roupa de baixo mágica que soluciona todos os dilemas de uma vez:

roupa de baixo

Quero deixar algo bem claro: não é cinta! Detesto roupas que me apertam (muito embora aprecie o suporte lombar, rs). O shortinho é a Bermuda Best Friend da Liz. Eu não sei se o nome foi criado após alguns depoimentos, mas seu eu puder palpitar, garanto que não existe nome mais apropriado. Eu uso tanto esse bendito que ele pode mesmo ser meu melhor amigo. Considero este short uma espécie de forro. Mas o que o torna tão maravilhoso é a modelagem perfeita, cortada a laser. 

 

A barra dele é feita em zigue-zague e cortada a laser. Acho que essa tecnologia impede que ele fique enrolando e escalando a sua perna. Pelo menos para mim funciona muito bem – mas há que se observar o tamanho, que tem que ficar bem coladinho. Eu tive muita dificuldade para encontrar o dito cujo no Rio nos últimos meses. Costumava comprar na Renner mas parou de vender. E nas lojas Americanas só tinha tamanho pequeno. Mas agora em São Paulo tem loja própria da Liz! Comprei três na semana passada. Estou quase comprando mais uns dois, rs. E eu juro que não sou consumista.

Achei esse comparativo interessante no Google

Felizmente, para quem não mora em São Paulo, tem também a opção de comprar online (aliás, achei bem mais barato na Dafiti). Para referência, o meu tamanho é o GG. Lembrem-se que eu sou bem grande. Eu tenho em preto, nude e rosê. Os claros eu uso como proteção para saias potencialmente transparentes. Já o preto eu deixo até uns pedaços aparentes, dependendo da roupa. Ele é bonitinho! Esta é uma compra que eu recomendo com frequência para minhas clientes, além de usar eu mesma. Acho um bom produto e que pode ajudar a “salvar” algumas peças encalhadas no armário. Ter roupa de baixo funcional é tão importante quanto roupas legais.

Beijos,

gabi

MEU CORTE DE CABELO DE 58,00 REAIS

Beleza, Rio Black Book
29/03/2017

Desde que eu cortei o cabelo “curto” pela primeira vez eu já soube que eu jamais voltaria a ter cabelão. Apesar de ter um tipo de cabelo muito almejado pela maioria, o look princesa não tem nada a ver comigo. Quando passei a tesoura pela primeira vez, me encontrei. Eu olhava para a foto do dia anterior, com fios enormes e não me reconhecia. Parece loucura, mas foi assim mesmo, rs. O único problema é que meu cabelo cresce muito rápido e eu raramente consigo acompanhar a demanda de corte. Recentemente me irritei com o tamanho e voltei ao salão para mais uma tesourada – generosa:

corte cabelo desconectado gabriela ganem

Desta vez não me orientei tanto pela moda, mas mais pela minha vontade mesmo. Estava querendo algo meio anos 60, só que atualizado. Algo com bastante volume e a personalidade da época, mas com um contexto 2017. Me inspirei um pouco na Sophia Loren. Um outra referência que eu vi há alguns anos e fiquei obcecada, era o cabelo da Megan Draper (Jessica Parré) em alguns episódios sixties de Mad Men:

Zou Bisou Bisou!

A técnica usada no meu corte é um tal de “desconectado“. Desculpem o déficit no vocabulário técnico, mas eu não faço ideia do que isso quer dizer. Só sei que saem uns pedaços enormes de cabelo e até eu que sou desapegada tremi um pouco na cadeira. O resultado do corte me deixou bem satisfeita, porque consegui um bom volume e meu cabelo ondulado deu uma bela enrolada – a coisa que eu mais gosto nele. Claro que eu jamais chegaria numa coisa Sophia Loren sem pelo menos um frasco de laquê. Mas para um cabelo de todo dia, fiquei muito feliz. O que prova que nem sempre a moda sabe o que você quer, rs. 

corte cabelo desconectado gabriela ganem

No entanto, a melhor parte de todo o processo é… o preço. Cortei num salão de bairro, no fundo de uma galeria do Jardim Botânico. Um lugar que eu já frequento há um tempo, de forma bem irregular. Mas esse salão tem um ativo maravilhoso: a minha cabeleireira, Chris. Eu nem sei o sobrenome da Chris. Ou se a grafia é Cris. O que eu posso dizer para vocês é que essa moça é a rainha do repicado, desfiado e afins. E corta muito rápido! rs. 

Ficamos acostumadas a achar que todo profissional bom é caro e tem renome e sobrenome. Não posso nem questionar isso, já que todos os profissionais célebres que passaram pelo meu cabelo foram mesmo maravilhosos e merecem o alarde. Mas também tem gente boa escondida nos salões de bairro, que tem bastante mérito. Então, se você quer um corte bem repicado (ou etc.) bom, bonito e barato, o que eu posso te dizer é que essa moça sempre acerta comigo – por R$58,00

Chris – Exuberant Coiffeur
R. Maria Angélica, 171 – Lagoa/Jardim Botânico
(21) 2246-4470
Não tem site.

E se você tem um cabeleireiro bacana no seu bairro, faço o convite para que você o recomende aqui nos comentários. 

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

O CORTE DE CABELO QUE MUDOU A MINHA VIDA – E A SUA
TENDÊNCIA :: O NOVO CORTE RETO
YOO2, O NOVO HOTEL BOUTIQUE DO RIO
COMIDINHAS :: MIAMOR ATELIER E O SEU PÃO DE MEL

TENDÊNCIA :: A SAIA PLISSADA E O TIPO FÍSICO

Consultoria de Imagem
27/03/2017

Para onde quer que você olhe, em todas as lojas, você encontra não uma, mas diversas versões de saia plissada – sobretudo a midi. Há muito tempo não se via uma tendência com tanta força lá fora e aqui. De certa forma, acho que é algo que agrada a gregos e troianos. Ao mesmo tempo que  é feminina, é moderninha. Talvez por isso o tamanho do sucesso. E, mal ou bem, não deixa de ser uma modelagem democrática:

Apesar de ser uma peça fácil de comprar e servir em muitas pessoas, existem sempre aquelas pessoas que são mais beneficiadas do que a média. No caso da saia plissada, quem mais ganha com elas são as mulheres de tipo físico triângulo invertido. Perguntem a Kate Middleton, que é bem assim e adora um plissadinho! Via de regra, essa modelagem agrega um volume na região do quadril. Como as pessoas de triângulo invertido têm os ombros proporcionalmente maiores que os quadris, esse tipo de saia é ótima para esse formato de corpo. 

No entanto, a gente sabe que no Brasil o tipo físico predominante é justamente o oposto deste, rs. Nossos antepassados nos garantiram uma grande parcela de pessoas de corpo triângulo. Nesse caso, os quadris são maiores que os ombros, proporcionalmente. Mas e se você é triângulo e quer usar a saia plissada, está proibida? Claro que não! Eu sou sempre a favor de todo mundo fazer o que tem vontade. Mas se vai usar, que tal fazer da melhor forma possível?

Saia plissada

Minha proposta é compensar a desproporção interferindo na parte de cima do look. Já que vai haver volume nos quadris, que tal ampliar a área dos ombros? Pode ser um decote horizontal, como o ombro a ombro ou o canoa… Ou também uma ombreira, manga bufante ou outro voluminho ali em cima. Desta forma cria-se uma maior simetria entre as partes e forma uma ilusão de ótica com efeito mais ampulheta. Assim dá para criar uma maior sensação de equilíbrio. 

Lembrando que alguns tecidos e modelagens podem ajudar também. A saia plissada sendo midi e de cintura alta, por exemplo, talvez o peso do tecido impeça que ela arme tanto. Cores escuras e/ou acabamentos foscos são preferíveis também. Mas fica a seu critério e preferência, como sempre. Essa pauta foi sugestão de uma de vocês e eu sou muito grata, porque nem sempre consigo pensar em posts no dia, rs. Então pedidos e palpites são sempre bem-vindos. Fiquem à vontade!

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

ESPECIAL NOIVAS :: O MELHOR VESTIDO DE NOIVA DO SEU TIPO FÍSICO
O CÃO É O MELHOR AMIGO DO HOMEM. O DRAPEADO, O DA MULHER
BRITNEY SPEARS E A SUPERAÇÃO DO TRIÂNGULO INVERTIDO
OS LOOKS DO GLAMOUR WOMEN OF THE YEAR 2016