TENDÊNCIA :: BRINCOS DE BOLAS

Estilo
18/08/2017

Há algum tempo venho sendo impactada por um modelo específico de maxi brinco que se espalhou mais que esta gripe do inverno, rs. Os brincos de bolas (ou esferas, se você é de exatas) começaram a pipocar no fim do ano passado e ganharam muita força no verão lá de fora. Desde então, não parei mais de ver o dito cujo nos meus feeds. Tudo graças a um modelo específico:

Brincos de bolas Les bonbons

Estes são os Les Bonbons, os brincos de bola da designer Rebecca De Ravenel que se tornaram uma verdadeira febre. São muitas as celebridades que aderiram ao modelo e você certamente já cruzou com ele por aí. Selena Gomez foi uma das que chamou mais atenção para as bolotas em um look laranja meses atrás. Mas, desde então, nomes como Jennifer Lopez, Katy Perry, Kate Bosworth, Emma Roberts e Lupita Nyong’o já desfilaram com o bendito em algum momento. Pessoalmente, eu acho belíssimo:

Brincos de bolas Brincos de bolas   Brincos de bolas

A própria Rebecca com um de seus Les Bonbons

Eu realmente acho todos os modelos lindos, até porque além das bolas, são todos maxi-brincos. Vocês sabem que meu único pecado consumista é brincão, né? É meu calcanhar de Aquiles. E um fato interessante é que eu acredito que esses modelos são bem democráticos. Isso porque ele reúne duas formas antagônicas: a esfera e a linha. Calma que eu explico: para quem tem rosto redondo, círculos em acessórios não são legais, mas as linhas verticais longas sim. O oposto acontece para o rosto longo. De certa forma, acho que as formas acabam se neutralizando um pouco. Então pode ser uma opção bacana para todo mundo, dependendo de alguns detalhes.

Brincos de bolas

O sucesso é tamanho que até marcas bem renomadas quiseram dar a sua versão dos brincos de bola. Nomes como Kenneth Jay Lane, Isabel Marant, Kate Spade, Rebecca MinkoffNanette Lepore e até a minha querida J.Crew criaram acessórios inspired. A vantagem é que agora existem incontáveis modelos e mil materiais diferentes para escolher. São brincos de bolas do metal às pedrarias, do fio à miçanga.

E não é só lá fora que rolaram as versões inspiradas, claro. Aqui também já tem muita marca que embarcou nesta história dos brincos de bolas. Eu diria até que existem variações mais criativas. Montei uma pequena vitrine, de múltiplas origens. Fiz naquele esquema de clicar na foto de cada um para comprar em lojas afiliadas (em que eu me sinto extremamente high-tech):

Não sei se vocês vão se interessar por estes, mas achei todos bem legais – e alguns bem no meu estilo. A vantagem é que os brincos da Rebecca De Ravenel custam 325,00 dólares e todos esses custam bem menos, rs. Alguns têm variações de cor também, para quem já conhece a sua cartela não errar na escolha (não esqueço de lembrar, rs). O que acham dos brincos de bolas?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

MEU LOOK :: PREMIÈRE DE “KINGSMAN 2”
DE QUANTA ROUPA VOCÊ PRECISA?
VAPOR BLUE :: A COR DE 2018?
DO CASUAL AO ALINHADO EM 5 MINUTOS

VAPOR BLUE :: A COR DE 2018?

Estilo
09/07/2017

Ontem estava dando uma lida num artigo muito interessante sobre o millennial pink, o rosa que dominou a moda, a decoração e quase todas as outras áreas nos últimos tempos. Aliás, leitura muito bacana – mas é em italiano e tive que usar meu “Terra Nostra” fluente para deduzir tudo. Ao final do texto, uma especialista de um bureau de cores especula qual será a cor do ano de 2018 e ela arriscou um palpite… Eu apresento o Vapor Blue:

VAPOR BLUE  

Agora eu te pergunto: Blue? Esta é potencialmente a nova cor do ano da Pantone, algo bem diferente da tragédia Greenery, a eleita de 2017. [Tá, eu sou dramática, na verdade eu nem odeio mais tanto assim]. Se o Greenery era uma cor bem viva e colorida, o Vapor Blue é a antítese disso. Mas amigos, cadê o azul nesta história? Para qualquer pessoa comum, isso é cinza. Ou não é?

VAPOR BLUE

Eu peguei as coordenadas RGB (sistema de cores dos monitores) da Pantone e transferi para o Adobe Illustrator. Comparando com um cinza puro, composto de 30% de preto, dá para ver que existe uma diferença do cinza neutro para o Vapor Blue. Quase irrisória? Certamente. Quando eu salvei esta imagem acima a diferença ficou ainda mais evidente com a compressão para jpeg. No meu aplicativo, quando eu sobrepunha um quadrado ao outro, quase não se via onde um acabava e o outro começava. 

Quando convertido para o sistema CMYK  (usado na impressão) o percentual de ciano é realmente um pouco mais alto. Mas acho que esta conversa está ficando muito técnica, rs. Vamos ao que interessa, a moda! Sendo cinza ou sendo azul, me parece que o Vapor Blue pode estar dando as caras desde já, bem diante dos nossos olhos…

VAPOR BLUE

Nos últimos dias tivemos alguns desfiles de alta-costura muito importantes e, se a gente procurar, acha uns exemplares da cor com bastante facilidade. Zuhair Murad, Elie Saab, Chanel, Dior… Escolha uma maison e ela provavelmente está oferecendo alguma versão do Vapor Blue. Se tem essa pitadinha de azul mesmo, só dá para saber ao vivo. Mas é possível que a gente tenha que se preparar para uma nova alta dos cinzas! Todo mundo tem algum cinza na sua cartela, então é uma opção bem mais versátil que o Greenery, em matéria de Análise Cromática. Pelo menos isso, né? O que acham do Vapor Blue?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

ULTRA VIOLET :: A COR DO ANO 2018 PARA A PANTONE
TENDÊNCIA :: BRINCOS DE BOLAS
SARDAMANIA :: MAQUIAGEM, STENCIL E TATTOO DE SARDAS
BABYLIGHTS E A SUA COLORAÇÃO

SARDAMANIA :: MAQUIAGEM, STENCIL E TATTOO DE SARDAS

Beleza
06/03/2017

A alta da maquiagem natural pode ter desencadeado uma nova obsessão global de beleza: as sardas. Se nas últimas décadas fomos atrás da base de maior cobertura, para peles de porcelana, hoje a busca é inversa. Sobrancelhas naturais, tons terrosos, pele luminosa… E agora sardas. E eu, francamente, prefiro as sardinhas de fora:

sardas

Vai dizer que não são charmosas? Não entendo quem não gosta. E mesmo achando bonito, também fico confusa com as pessoas que tentam colocar artificialmente sardas em si. Acho que a beleza está justamente no efeito natural. E sardas são traços comuns a alguns tipos de coloração. Se eu fizesse em mim, acho que não ficaria tão compatível, muito embora eu tenha milhares de pintas no rosto (vocês não notam porque tenho uma protagonista evidente em cima da boca, servindo de ponto focal, rs). Essa característica é mais comum em tons de pele quente. Inclusive, costuma ser um indicativo, apesar de não ser determinante. 

sardas

 

Por outro lado, com a miscigenação tão pronunciada no mundo contemporâneo, é bem possível encontrar pessoas com traços de origens diferentes. Acho que esse inesperado é o futuro da beleza. Imagine uma japonesa com sardas? Em algumas negras eu achei que ficou especialmente bonito! Talvez seja isso que as mulheres andam procurando, algo surpreendente. Há quem diga também que é para buscar uma aparência mais fofa. Depois da plástica de covinhas, eu não duvido. 

   

Tem gente que se aperfeiçoou muito na maquiagem de sardas. Impossível saber que são artificiais. Olha essa última foto! Dá para dizer que é make? Acho que o segredo está em não fazer bolinhas perfeitas. Têm que ser manchas, de tamanhos diferentes, talvez com pincéis variados e também múltiplas intensidades. Quando é uma bolinha perfeita, me lembra festa junina. Aliás, tem até um teste no Buzzfeed para ver se você acerta quais sardas são maquiagem e quais são de verdade. Eu acertei 9 de 13… É difícil! Me contem quantas vocês acertaram, rs. 

Com o stencil do Freck Yourself

Mesmo com a técnica perfeita, pensa só no trabalho que isso dá! A menos que seja algo para uma ocasião especial e só, não dá para ficar repetindo o efeito todos os dias. Por isso, já criaram até um stencil de sardas. Você posiciona um adesivo furadinho e pinta por cima com um roll-on. Bem mais prático, muito embora eu ainda ache que dá para notar que é fake, por causa do tom escuro e formato perfeitinho. 

Sardas tatuadas

Acreditem,  é por isso que tem gente tatuando sardas! Tem até profissional se especializando nisso. Por mais que você ame uma face sardenta, acho que é um compromisso muito permanente para algo bem no seu rosto. Entendo a paixão, mas por que não fazer algo semi-permanente, como uma micropigmentação? Essas duram no máximo 2 anos. Bem melhor! E se depois de algum tempo você ainda quiser, talvez seja o caso de partir para o permanente. A boa notícia é que, caso você tatue e se arrependa, os médicos especialistas já disseram que não é tão difícil de tirar com o laser… O que acham desse modismo?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

TENDÊNCIA :: BRINCOS DE BOLAS
A BASE CUSHION DA LANCÔME PARA QUEM NÃO GOSTA DE BASE
VAPOR BLUE :: A COR DE 2018?
10 MAKES PARA INSPIRAR SEU FDS :: PELE FRIA OU QUENTE