Neste fim de semana rolou o casamento dos apresentadores Ticiane Pinheiro e Cesar Tralli em Campos do Jordão. A festa estava recheada de famosos e algumas notórias fashionistas, como a musa Sabrina Sato. Seu Dolce & Gabbana acetinado dividiu opiniões – no instagram e nas enquetes que eu fiz (por mais que a do facebook tenha sido meio falha, rs). Mas para mim não resta dúvida: o vestido foi um grandessíssimo deslize para ela que costuma ter um bom histórico.

Sabrina, se algum dia você cruzar com este post, saiba que eu te amo. Me perdoa! Mas voltando ao vestido, meu maior problema com ele é a cor. A cor e o tecido… Que agravou ainda mais o fator coloração. Eu não tenho como afirmar qual é a cartela da Sabrina Sato sem uma Análise Cromática. Mas existem algumas coisas que ficam bem evidentes quando dão certo ou errado. Neste caso, eu acredito que está bem nítido o quanto essa peça não funcionou para ela…

Azul versus Dourado. Qual é o seu preferido? Escolhi o dourado porque eu achei este tom de azul/prata muito frio e claro para ela. Desta vez fiz o Toscoshop no celular, então não está muito caprichado, rs. Não reparem! Mas só de dar uma “esquentadinha” na cor, a expressão dela já mudou bastante. Esta cor também é um pouco mais escura, o que ajuda a reduzir o impacto do tecido. Na versão original o vestido ofusca o seu rosto, chamando muito mais atenção. Cor clara, fria e brilhante não parecem ser traços da Sabrina Sato que conhecemos, né? Ainda mais com um contraste tão baixo.

Além da cor e do tecido, apesar de ser um legítimo Dolce & Gabbana, eu jamais diria que esse modelito vale o sobrenome. Ficou faltando a tal Cara de Caro que eu vivo falando. Não passa uma aparência muito sofisticada, apesar dos múltiplos dígitos que deve valer. Não é à toa que uma leitora (que permanecerá anônima) comentou comigo que era muito “Djalma Noivas”. O cetim é um tecido com um histórico ruim – e passou anos no limbo por conta disso. Em vestidos de festa é melhor evitar o material em modelagens muito sexy ou em cores muito vibrantes

Pelo menos garantiu o buquê

Mas tudo estava ruim no vestido da Sabrina Sato? Não. Eu dou uns pontos para a modelagem, que vestiu o corpo dela muito bem. O mérito é do drapeado que, como já falei, é o melhor amigo da mulher. Apesar de não ser nada no meu estilo, ele até que vestiu direito e valorizou o corpão. Mas sempre fica a dúvida se não é a Sabrina quem está valorizando o vestido, rs. O que acharam?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

  1. Gabriela Lopes

    4 dez 2017 às 21h57

    O stylist dela deve tá de férias….só isso explica

    Responder
  2. Mariana

    5 dez 2017 às 5h30

    Gabi, nunca tinha ouvido falar do “histórico ruim” do cetim. Qual é?

    Responder
  3. Gabi

    5 dez 2017 às 10h42

    Juro que não achei ruim o vestido, muito pelo contrário. Achei “fresh” ver a Sabrina usando uma roupa normal em casamento rs. Mas entre todo mundo que já usou esse vestido, nada bate a Alessandra Ambrósio usando ele em vermelho rico.

    Responder
  4. Milena

    5 dez 2017 às 18h29

    A Sabrina é lindíssima, mas esse vestido de cetim realmente não foi uma boa escolha (na minha opinião).
    Eu tive um vestido dourado claro de cetim há anos, e lembrando dele hoje, fico pensando “Onde eu tava com a cabeça?” pra usar um vestido nesse tecido rsrsrs

    De fato o cetim não fica com cara de peça sofisticada e fina, mas sim, de mal ajambrado e simplório.
    Só de bater o olho deu pra perceber que essa cor não faz jus à beleza da Sabrina.

    Responder
  5. Nicole

    6 dez 2017 às 18h31

    Eu achei esse vestido tão lindo! Acho que pela modelagem dele e a maneira como caiu bem no corpo dela. Porém, realmente não a valorizou. E eu nunca diria que ele é um DG! :O

    Responder
  6. Gabriela Lopes

    7 dez 2017 às 20h55

    Neste momento, uma pausa para assunto off topic: obrigada Pantone pela cor de 2018…ultra violet!!!!

    Responder