7 DICAS PARA PARAR DE COMPRAR ROUPA À TOA

Comportamento
24/01/2018

Comprar é muito bom, pelo menos para a maioria de nós. Há quem discorde. Mas a ciência já mostrou que ativa o sistema de recompensa do cérebro. Não é à toa que tem tanta gente que gosta de comprar ou até que perca o controle em relação a isso. Já tive algumas clientes assim e hoje tenho muito orgulho delas quando eu vejo o quanto melhoraram seus hábitos de consumo com roupas, acessórios e até maquiagem. Sei que pode ser bem difícil… Por isso pensei em 7 dicas que podem ajudar quem está numa situação parecida:

comprar  

1) Limpe o armário :: Para saber o que você tem e o que você precisa de fato é preciso enxergar todas as peças lá dentro. Se tiver um bolo de roupas entulhado no fim do armário, provavelmente você não vai usar nada daquilo nunca. Sem contar a possibilidade de comprar repetido. Vocês nem imaginam a frequência com que isso acontece.

2) Pare de parcelar, pague no débito :: O parcelamento é sim um advento maravilhoso do comércio brasileiro. No entanto, ele pode viabilizar compras que normalmente você não faria. Isso sem contar as coisas que compramos e esquecemos que ainda temos que pagar 4 meses depois, rs. Saia dessa bola de neve e pague à vista, se puder, ou não compre.

3) Versatilizar as peças :: Segmentar o guarda-roupa em ocasião social é a maneira menos versátil de usar suas roupas. Se a roupa de trabalho é só para o trabalho e a de lazer é só para o lazer, você vai precisar do dobro de roupas. Tente dar novos propósitos para suas peças. Misture blazer com jeans, alfaiataria com camiseta, vestido arrumado com rasteira, etc..

4) Tenha uma lista de compras :: Saiba o que está realmente fazendo falta no armário. Quase nunca é uma jaqueta de paetês rosa… Geralmente é um sutiã cor da pele, uma blusa marinho. Então fica essa dica, rs. E anote! Se não precisa de nada, não compre.

5) Descarte uma peça sempre que comprar algo :: Pense no que vai ter que descartar ao comprar algo. Assim você vai pensar duas vezes se o que você está levando é fundamental mesmo. 

6) Só compre se pensar em pelo menos 5 looks :: Se não conseguir pensar em ao menos 5 maneiras diferentes para usar sua peça nova, nem leve para casa. Esqueça aquela história de comprar “para usar com aquela saia tal”. Tem que ter pelo menos cinco variações para esta frase.

7) Faça um jejum de compras :: Não precisa ser um grande compromisso. Tenha metas realistas. Se 15 dias sem comprar é uma superação para você, então comece com 15 dias. Aos poucos você pode ir aumentando e quem sabe conseguir ficar 6 meses ou 1 ano. Eu já fiquei e é possível sim.

Sei que ano novo inspira sempre mudanças então pode ser um bom momento para interromper um hábito ruim. Isso não quer dizer que você precisa parar de comprar para sempre ou que comprar seja sempre ruim. Mas é justamente uma oportunidade para conseguir ter mais critério e quem sabe até investir em algo melhor que você quer ou precisa… Como é a relação de vocês com as compras?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

BLUSAS BÁSICAS DE SEDA DE ATÉ R$250,00
VIRTINE :: 10 BLUSAS PARA O VERÃO QUE COBREM O BRAÇO
ONDE COMPRAR QUIMONO
CUIDADO COM A LIQUIDAÇÃO!
  1. Bárbara Em 25/01/2018

    O item que vou aplicar a partir de agora é o 5, único que realmente nunca apliquei, dentre todos que você citou… sempre comprei roupa no débito, estipulo tempos de jejum e, nas lojas, fico trabalhando a mente, tentando combinar a peça que encontrei com as que já tenho em casa… e essas dicas funcionam demais!

    Mas o item 5 é o que falta, e o que vou adotar para a vida: descartar algo sempre que levar algo novo. Terei esse mantra pra fechar com chave de ouro, principalmente porque acabei de fazer uma limpeza no armário e percebo como, até agora, não sinto falta de nada.

    Descartar na mesma medida em que se adquire é muito bom para quando você desenvolve uma acurácia na escolha de roupas que não tinha até então… por exemplo, quando você encontra uma saia preta parecida com uma que você já tenha, mas com caimento/modelagem/tecido melhores do que a que você tem, então você leva para casa e descarta a que comprou antes, em vez de ficar com duas peças repetidas. Claro que se você tivesse uma noção de caimento boa antes, não teria comprado a primeira roupa, mas não é o meu caso. Todo ano, eu me descubro melhor em compreender caimento/tecido/modelagem em relação aos outros anos, e enxergando problemas nas peças que não enxergava até então. Assim, uma substituição é melhor do que acumular peças.


    Responder

  2. Ingrid Em 25/01/2018

    Excelente post!


    Responder

  3. Nayana Gurgel Em 25/01/2018

    Um blog para ser ler sempreeeeee. Sem dúvidas está entre os meus favoritos!


    Responder

  4. Gisele Em 25/01/2018

    Fiz isso há alguns dias. Limpei o meu armário, descartei o que não estava usando mais e percebi que não é necessário uma quantidade de roupa insana para viver. Ainda preciso melhorar em alguns pontos que você citou.
    Outra coisa é que eu sempre acabo com uma dózinha de usar as minhas peças favoritas, fico guardando pra uma ocasião especial e tal.. nesse ano quero fazer valer o meu dinheiro e usa-las com vontade. Adorei o post. Bjs


    Responder

  5. Dani R. Em 25/01/2018

    Amei as dicas!! A nº 3 me fez perceber que meu guarda-roupas segmentado em roupa de trabalho e roupa de sair restringe minhas opções! Vou procurar reorganizá-lo para tentar ser mais versátil! A dica nº 6 também é ótima!! Obrigada pelos insights!


    Responder

  6. Debora Campos Em 25/01/2018

    Post muito informativo! Começei esse jejum de compras esse ano pq eu tava demais hehehehehe bjs Gabi!!!!!


    Responder

  7. Thami Sgalbiero Em 25/01/2018

    Eu era louca das compras de roupa. De todos os itens só não fiz esse 3º e percebi que esse é o problema daqui de casa. No meu guarda-roupas eu separo roupa pra ficar em casa, roupa pra sair, roupa pra festa, roupa pra tudo e menos versátil. :/ Acho que se eu conseguir fazer isso da versatilidade das peças, resolvo meu problema com as compras, haha!


    Responder

  8. Regina Em 26/01/2018

    O item que nunca pensei foi o 3… categorizo demais as minhas roupas. não todas, claro. mas as de trabalho geralmente ficam separadas.

    Algo que funcionou comigo, que não está no seu post Gabi, e o seguinte, quando for arrumar o guarda-roupa, mude as coisas de lugar. Ex.: trocar o lugar das roupas nas araras (eu tenho uma arara pra blazer e outra só pra camisa, sempre eu inverto de lugar, e ao fazer isso, troco a ordem também, tipo, o que tava de um lado, vai para o outro). trocar as roupas de gavetas, etc. Isso faz com que nosso cérebro trabalhe, pense e veja as roupas de maneira diferente, mesmo que sejam a mesma. Olhar pra a mesma roupa sobre outra perspectiva.


    Responder

    • Juli Em 01/02/2018

      Gostei da sugestao e concordo!!!


      Responder