ANÁLISE CROMÁTICA ONLINE. FUNCIONA?

Consultoria de Imagem
03/07/2018

Acho que a pergunta que eu mais recebo em mensagens ou e-mails é se eu faço Análise Cromática online. Como minha terra natal é a internet é bem comum cruzar com pessoas dos 4 cantos do mundo – sobretudo porque nós, brasileiros, somos os maiores colonizadores do mundo pós-colonial, rs. Essa é uma das partes mais legais de trabalhar como eu trabalho mas, ao mesmo tempo, a distância acaba inviabilizando alguns serviços. Afinal, a Análise Cromática online funciona?

 

Eu não acho que estou em posição para determinar o que vale e o que não vale para toda uma classe. Ainda assim eu tenho duas colocações. A primeira é: eu não faço. Por que eu não faço? Seria ótimo para mim. Poderia trabalhar de casa, cobrar mais barato e atender muito mais gente… Coloriria o mundo dos meus sonhos (ou quase isso). Só que eu não acredito que funcione. Eu sei que tem muita gente que oferece este serviço e eu não julgo. Acho que dá para acertar sim à distância. Meu problema com isso não é a chance de acerto, mas a chance de erro

Me digam vocês… Quando a gente faz Análise Cromática, tomamos certos cuidados.  É preciso neutralizar as cores da cliente com capa e até touca em tecido cinza neutro. A luz tem que estar na temperatura e intensidade certas. Ou seja, tem que ser feito na luz do dia e não em qualquer horário. Se feito com luz artificial, as lâmpadas têm que simular a luz do sol, com temperatura acima de 5500K e IRC (Índice de Reprodução de Cor) acima de 91 numa escala de 0 a 100. As lâmpadas domésticas costumam ter um IRC de 80.

Além disso, a cliente tem que estar de cara lavada. Vamos supor agora que você consiga uma câmera que consiga reproduzir as cores e as luzes exatamente como elas são ao vivo, nestas circunstâncias, sem variar exposição ou cor dependendo do ambiente. E ainda que a compressão no envio do arquivo não altere em nada a imagem. A Análise Cromática Online te parece algo factível de forma infalível?

Eu não diria nem que são a mesma pessoa… Quem dirá da mesma cartela!

Não estou dizendo que é impossível acertar um diagnóstico. Mas também é impossível garantir um, pela minha experiência. A maioria dos diagnósticos online são feitos baseados em estereótipos ou achismos, como a falácia da cor das veias. Os estereótipos ajudam sim. É como eu me oriento muitas vezes quando dou meus palpites sobre as celebridades aqui ou no Instagram. Só que quanto mais eu faço Análise Cromática, mais me deparo com pessoas fora da tal caixa. Sardas que não são de estações quentes… Pessoas de pele bem bronzeada que são de cartelas inclinadas ao frio… Ou seja, pessoas que eu muito provavelmente teriam no mínimo me deixado bem dividida na Análise Cromática Online.

Já cheguei a palpitar que a Isabella Santoni era de estação opaca… Mas depois eu soube que ela é Primavera Pura (Quente e viva, rs). Até hoje, ao olhar esta foto, eu fico balançada. Mas eu sei que meu pitaco virtual não é nada perto da Análise ao vivo, que é a verdadeiramente confiável.

Eu tenho sim um pacote online (em breve, dois!) que abordam a coloração mas que usam o contraste como ponto de partida. O que é diferente de um diagnóstico de cartela de cores. Dá para sugerir mudanças com propriedade, sem arriscar um erro brutal. E o que eu sugiro para aquelas que não têm consultoras habilitadas na sua cidade é usar recursos assim, que não tem erro. E para quem tem, procure um profissional de confiança e faça ao vivo. É melhor fazer uma só vez e fazer direito do que ficar arriscando ou pior: investir na cartela errada. O que acham?

Beijos,

gabi

MAIS UM MOTIVO PARA FICAR ATENTA À SOBRANCELHA

Consultoria de Imagem
15/06/2018

Caso alguém ainda não tenha notado, tenho uma pequena obsessão com sobrancelha. Se o cabelo é a moldura do rosto, a dita-cuja é a moldura do olho e, talvez por isso, até mais importante. Acho que eu preferiria ficar careca a ficar sem minhas taturanas (sou apegada). Mas além da minha relação de dependência emocional com a minha própria sobrancelha, existe uma questão mais racional por trás disso. Já falei sobre como ela interage com o contraste, lembram? Mas tem mais uma questão vital em torno disso…

Isso não é tão relativo quanto o contaste individual e sim mais uma questão geral de coloração: com a idade a sobrancelha vai ficando mais rala e menos pigmentada. O mesmo processo que acontece com a boca (e que não à toa desencadeia uma enxurrada de preenchimentos). Por isso, é comum o nosso cérebro associar uma sobrancelha muito clarinha a mais idade. Sobretudo quando há um descompasso com os demais elementos de contraste. Se você tem pele clara, cabelo escuro e sobrancelha clara, o efeito é acentuado. Talvez por isso a gente tenha observado um boom nas micropigmentações e afins.

Qual lado do rosto de cada uma destas mulheres parece mais jovial para vocês? Qual lado tem mais ou menos vitalidade? A meu ver, as sobrancelhas mais pigmentadas passam uma imagem mais com mais energia e viço (a palavra que eu mais uso? rs). O efeito é menos sentido em loiras de baixo contraste, claro, afinal é menos discrepante. Mas mesmo em negras sinto uma bela diferença. E como eu falei lá em cima, não é só questão de “idade”. Além da jovialidade, a sobrancelha mais marcada traz uma energia para o rosto. O mesmo efeito de um blushsaúde” ou um lip balm com cor. 

Isso quer dizer que quanto mais pintada melhor? Claro que não. Mas isso serve de lembrete para ficarmos mais atentas. Principalmente agora, no inverno, quando nossos cabelos ficam naturalmente mais escuros. E se você passar maquiagem, por mais básica que seja, não esqueça de maquiar a sobrancelha também. Afinal a maquiagem vai destacar os demais traços, fazendo a sobrancelha se apagar um pouquinho relativamente. Isso sem contar o efeito da base. 

  1. Pincel 212 | 2. Paleta Benefit | 3. Sombra Carbon | 4. Gel de crescimento Marina Smith | 5. Lipocils | 6. Paleta Quem Disse Berenice? | 7. Paleta Eudora 

Para pintar a sobrancelha eu uso o pincel 212 da MAC com um pouquinho da sombra Carbon bem esfumada. Ela é pretérrima – mas meus fios também. Para qualquer outro humano talvez seja melhor um marrom acinzentado ou bege escuro, rs. De qualquer forma eu recomendo usar produtos em mesmo, que acho que esfumam melhor numa área com pelos. Selecionei algumas opções para quem está na busca ou pelo menos considerando, rs. O que acham?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

MICROPIGMENTAÇÃO :: É PARA VOCÊ?

UMA BREVE ANÁLISE DO VESTIDO DE NOIVA DE MEGHAN MARKLE

Consultoria de Imagem
23/05/2018

Eu sei que o casamento real foi no sábado e que talvez vocês já estejam levemente saturadas do assunto “royal wedding” (eu não, mas ok, rs). Mas só agora eu consegui sentar para escrever meu parecer sobre as escolhas da noiva/princesa/duquesa Meghan Markle. De certa forma, foi bom esperar um pouco também para ouvir as opiniões de ambos os lados. Mas é claro que eu não estou aqui apenas para repetir o que já foi dito. O importante aqui é o que a consultoria de imagem tem a dizer sobre este vestido, este momento, este look completo. 

• O estilo :: Muita gente achou o modelito Givenchy sem-graça. Eu chamaria de clássico. Tenho sim algumas ressalvas para este vestido, mas nenhuma se refere ao estilo. Primeiramente, porque é a cara dela. Meghan Markle tem um estilo ultra clássico e, desde que se tornou elemento da família real, não foi nada menos do completamente protocolar. Existem algumas teorias sobre a real inspiração para o vestido, mas se alguém me dissesse que saiu da cabeça dela eu acreditaria totalmente. Ela estava vestida dela mesma, o que é o melhor tipo de roupa. 

Outro ponto importante: a hierarquia. Kate Middleton seria a rainha na linha de sucessão. Por isso, Meghan não poderia concorrer com o look de noiva da cunhada de forma nenhuma. Ao invés de fazer um elaborado pela metade, foi no caminho oposto, com o modelo mais enxuto possível. Mais uma questão: casamento de manhã, na primavera, numa residência mais campestre da família real, fora de Londres. Precisa de tanta coisa assim? O mesmo vale para a maquiagem aqui. Eu não colocaria uma gota a mais. Bom, talvez um batonzinho, por motivos pessoais, rs.

Por fim, o ápice da estratégia, na minha opinião: deixar todo o ponto focal para o rosto. Sem nenhum destaque no vestido e detalhes apenas nas jóias, não nos resta outra opção a não ser olhar para o rosto de Meghan Markle. E que rosto, não é mesmo? A acho deslumbrante desde o primeiro episódio de Suits.

Coloração :: Eu tenho uma teoria de que Meghan Markle é uma daquelas raras pessoas que fica bem de branco. Talvez eu não achasse isso até vê-la de fato no vestido. Mas dá para dizer que não funcionou? Ainda mais com tão pouca maquiagem? Eu vejo viço ali! Não acho que ela tenha pele fria, exatamente. Mas acredito que ela possa ser de uma cartela neutra de Inverno. Só uma teoria minha… 

Modelagem :: É aqui e apenas aqui que eu tenho alguma ressalva com este Givenchy para a Meghan Markle. São duas questões para mim. A primeira, é o caimento. Acho que o tecido é um pouco mais robusto do que eu gostaria e, por isso, acabou não ficando tão ajustado nos braços (ela tem braços bem fininhos) e no colo. Acredito que o resto do vestido não marcava o corpo por uma escolha da noiva mesmo. É a versão dela de modéstia e discrição. Mas quando isso acontece no braço, fica parecendo que faltou ajuste. 

A segunda é o tipo físico da noiva, que não foi considerado. Meghan Markle é um clássico triângulo invertido (assim como Kate Middleton). Isso significa que ela tem os ombros mais largos que os quadris, proporcionalmente. Com isso, um decote canoa não seria a minha opção para ela – a menos que a saia fosse bem mais rodada no quadril. Na foto em que ela desce as escadas nota-se bem a desproporção. Já o seu segundo vestido, Stella McCartney, é perfeito para o seu tipo de corpo, porque tem um decote que diminui visualmente os ombros e cria a ilusão de uma silhueta bem ampulheta. Ponto para ele. 

• A tiara :: A tiara foi o ponto alto deste look para mim. Não só porque é linda até dizer chega (bem do jeitinho vintage que eu gosto) mas também porque é tecnicamente perfeita. Lembram que eu falei do rosto ser o único ponto focal? A tiara é o elemento que mais reforça isso. Além de deixar conservar o formato do seu rosto bem oval, ele tem uma simetria centralizada que guia o olhar para o centro do rosto dela. Assim a gente não como deixar de olhar para o rosto. O cabelo partido no meio também contribui. Mesmo na foto de grupo, observem:

O ponto focal da foto é ela. O rosto dela. O segundo é a Beth, rs. Aliás, eu gostei do look verdinho dela, viu? Achei ótimo para a coloração dela e tá no esquema de cores da família. Sem contar que tem uma pitadinha de roxo ali, a cor complementar – e da realeza. Dando seu recado, né?

E aí? O que acharam do look da Meghan Markle? Saíram do post com a mesma opinião que entraram, rs? Eu amei este casamento ainda mais que o primeiro. E vocês?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

CABELOS BRANCOS :: QUANDO É A HORA?
OS MEHORES LOOKS DO MET GALA 2018 SEGUNDO EU MESMA
ANÁLISE DOS LOOKS DA PREMIERE DE AVENGERS 3
A MULHER, O TRABALHO E A CONSULTORIA DE IMAGEM