Eu sempre falo sobre a noção de contraste na coloração pessoal aqui no blog. Eu insisto tanto nessa parte, porque é a única parte da Análise Cromática que pode ser identificada imediatamente, sem material ou luz especial. Longe de ser a única característica importante, mas é a mais acessível, rs. Por isso, eu encorajo todo mundo a dominar esse conceito e a botar em prática! Mas o que é isso afinal?

Contraste analise cromatica gabriela ganem consultoria de imagem

O contraste é, na prática, a diferença entre cor do cabelo, sobrancelha e olhos em relação ao tom da pele. Quando a discrepância é grande, a pessoa é alto contraste. Quando a diferença é sutil ou nenhuma (eu estou falando de você, Nicole Kidman), então a pessoa é baixo contraste.

Supondo que seja alguém como a Cléo Pires, de pele clarinha e o resto todo bem preto. Esta pessoa é muito contrastada. Mas imagine que seja a Cléo Pires daquela novela da Turquia (Salve Jorge). Atrizes sempre mudam para papéis, certo? Neste caso a Cléo ficou loirassa! O que acontece com o contraste nessa situação? Baixou quase por completo. Isso porque de toda a Coloração Pessoal, a única coisa que pode mudar ao longo da vida é justamente o contraste. Algumas pessoas podem ter todos os níveis durante a vida, dependendo das mudanças capilares, bronzeado e outras intervenções. Observem a Jennifer Lawrence:

Contraste analise cromatica gabriela ganem consultoria de imagem

Tem ainda o meio-termo, o médio contraste. Eu também costumo tratar a escala como o ponto da carne: baixo, baixo-médio, médio, médio-alto, alto. Segmento em 5 etapas porque apenas 3 classificações acabam não sendo abrangentes o suficiente. Então, observando a diferença entre pele e pêlos (e íris) dá para determinar fácil o contraste de alguém. Para ajudar no aprendizado, preparei um quiz maroto para todo mundo ver se está afiado:


Como vocês se saíram? Eu fiz um teste bem molezinha e só com três opções, ao invés de cinco, para facilitar. Para quem errou, vale refazer o teste para ter certeza, rs. 

Por que o contraste é tratado à parte da cartela de cores da Análise Cromática? Porque duas pessoas podem ter a mesma cartela e contrastes completamente diferentes e vice-versa. Então, eu sempre explico que é um recurso complementar. Você pode usar todas as cores da sua cartela, sempre. Mas recomendo que na hora do styling considere o equilíbrio de cores perto do rosto. 

Contraste analise cromatica gabriela ganem consultoria de imagem

Agora que você sabe como identificar este traço, como botar isso em prática nas roupas e acessórios? Basta repetir seu grau de contraste nas peças! No meu caso, que sou bem contrastada, busco usar itens que destoem bastante da minha pele. Se eu não puder fazer isso com a roupa, compenso com o batom, com bijoux, com lenço… Ou pelo menos solto o cabelo, rs. O importante é que a sua fisionomia não “desapareça” em meio às roupas. 

Contraste analise cromatica gabriela ganem consultoria de imagem

O cabelo claro da Jennifer Lopez tem me incomodado tanto…

Uma outra questão é se seu contraste atual é realmente a sua melhor versão. Esse é um daqueles casos em que a Consultoria de imagem deixa de ser estritamente técnica e deixa brecha para o olhar da Consultora entrar no mérito. Muitas vezes eu noto que tem algo que não está totalmente equilibrado no contraste de uma cliente e nesses casos eu dou algumas sugestões. Na maioria das vezes é algo relacionado à tintura do cabelo ou ao estado da sobrancelha. 

Espero que este post ajude todo mundo a identificar seu contraste e a colocar o aprendizado em prática! E para quem quiser se aprofundar mais, vale conferir a página de portfólio e serviços para conhecer os pacotes de Consultoria de Imagem que eu ofereço.

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

Óculos espelhados gabriela ganem consultoria de imagem analise cromatica

Na Análise Cromática uma das dimensões das cores que eu avalio é o brilho. Algumas pessoas têm boa receptividade ao brilho, já outras não são valorizadas por ele. E quando as pessoas têm esta característica, elas costumam ficar bem com cores saturadas e vibrantes. Isso abrange os óculos espelhados também. Inclusive é uma informação que eu costumo incluir no manual que entrego para as minhas clientes. 

   Óculos espelhados gabriela ganem consultoria de imagem analise cromatica 

Esta é uma informação bem importante, já que fica bem no meio do rosto, rs. Usar óculos espelhados pode ser um complemento perfeito para quem tem boa relação com o brilho. Mas também pode ficar pouco harmonioso para quem não tem e deixar a pessoa abatida. Por outro lado, os óculos cobrem os olhos, então é possível que não tenha muito prejuízo na fisionomia. Ainda assim, pode ter um efeito indesejado no resto do rosto, como realçar cicatrizes, manchas e outras coisinhas. 

Óculos espelhados gabriela ganem consultoria de imagem analise cromatica

Não deu certo isso…

Já este está harmonioso.

Poderia ser melhor…

Se você sente que seu rosto não fica o mesmo com os óculos espelhados, já pode ter uma pista da sua coloração. Mas é importante diferenciar gosto pessoal de um visual ruim. Você pode não curtir o estilo, mas eu falo de efeitos na fisionomia. Um outro critério que sempre dá uma ajudinha e que vocês já devem estar familiarizadas é o contraste (para quem ainda não assimilou, estou preparando um post definitivo sobre isso para os próximos dias). Vale coordenar a cor da armação – e a da lente com o contraste também. 

Eu & meus óculos espelhados que usei hoje mais cedo

No meu caso, por exemplo, tenho alto contraste e boa receptividade ao brilho. Por isso passei a comprar óculos espelhados nos últimos anos. E eu pego até os mais coloridos, porque eu sei que funciona para mim. Mas para pessoas de pele opaca, sobretudo de baixo contraste, não daria muito certo… Mas esta é só uma das várias informações que você descobre com uma boa Análise Cromática. Quem quiser saber tudo sobre sua coloração pessoal pode me perguntar mais informações sobre este serviço pelo gabi@gabrielaganem.com ou dar uma olhada nos pacotes de serviços.

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

Dando sequência aos posts especiais para noivas, hoje vou falar sobre um tema muito importante, o tipo físico. Uma das primeiras pautas do blog foi justamente sobre como identificar o seu tipo de corpo. Isso porque essa identificação é necessária para acompanhar outros posts por aqui. No caso do vestido de noiva, acho que a modelagem consegue ser ainda mais relevante que a coloração. Separei algumas indicações que podem ajudar na orientação da busca do melhor modelito:

  vestido de noiva

• Corpo Triângulo: Este é o corpo mais comum aqui no Brasil. Nós costumamos ter o limite do quadril maior que o dos ombros. Para quem tem esse traço, o mais importante é corrigir esta desproporção aumentando visualmente os ombros estreitos ou diminuindo o quadril.

Para a parte de cima, os melhores decotes são os horizontais, como o “ombro a ombro“, ciganinhacanoa, ou opções com detalhes nos ombros como mangas amplas ou bordados robustos. Para a saia, minha recomendação é usar saias que caiam retas sobre o quadril ou, para quem quiser algo mais sensual, preferir os modelos justos que comecem a abrir logo no começo das coxas, para evitar o efeito funil. Você pode usar um recurso ou ambos, dependendo da sua preferência e grau de compensação na silhueta.

vestido de noiva 

Corpo Triângulo Invertido: É a desproporção inversa do corpo anterior. Quem tem essas características costuma ter ombro sobrando e/ou quadril de menos no equilíbrio da silhueta. A solução é reduzir em cima e aumentar embaixo. 

Nos decotes a melhor opção de vestido de noiva são aqueles que criam linhas diagonais na direção do pescoço, como o halter, o frente única e o nadador. Apenas cuidado com decotes fechados para quem tem seios grandes (dentre as mulheres de triângulo invertido, uma parte é mais atlética e a outra costuma ter bastante peito). Existem maneiras de conciliar ambos. Já na parte de baixo o melhor é usar saias em “A” ou até bolo de noiva. O importante é criar volume.

Corpo Retângulo: as pessoas deste perfil costumam não ter muita cintura. Isso não significa que estão acima do peso. Aliás, muitas vezes são pessoas que malham bastante. Nesse caso, o importante é que o vestido de noiva crie uma ilusão de cintura, mesmo que ela quase não esteja lá. 

Uma solução interessante é usar recursos que aumentem tanto quadril quanto ombros, já que isso faria a cintura parecer menor que ambos. Nesse caso vale roubar os decotes recomendados para o perfil “triângulo” e as saias do “triângulo invertido“. Outro recurso que eu aprecio muito é o drapeado (que tem um post só sobre ele), que cria uma ilusão de diminuir a região. Outro ás na manga é o peplum que faz um volume que funciona como contraponto, fazendo a cintura parecer menor também. 

Corpo Oval: Essa silhueta tem uma demanda bastante similar à da mulher retangular, porque também precisa criar uma cintura onde falta. A diferença é que neste caso a cintura ultrapassa a linha entre o ombro e o quadril. Habitualmente é porque a pessoa está acima do peso (mas isso não é algo exclusivo deste perfil, afinal cada um engorda de um jeito).

A melhor solução nesses casos é fazer o mesmo que sugeri acima… Um pouquinho de volume nos ombros e no quadril podem ajudar a equilibrar a silhueta (Adele faz sempre – Beyoncé também, mas é por outro motivo, rs). Outro item que recomendo é o decote em “V”, que sempre ajuda a alongar ou mostrar o colo. O drapeado mais uma vez é um aliado maravilhoso. A Octavia Spencer, que é oval, sempre abusa de drapeado e fica um espetáculo. É uma referência para mim. 

Corpo Ampulheta: Esta é a silhueta mais proporcional e por isso não precisa fazer nenhuma compensação na modelagem. A cintura é desenhada e ombros e quadris são alinhados. Neste caso, o que eu faria é aproveitar que há este equilíbrio para valorizar este traço. Usaria um vestido de noiva com a cintura marcada e até desenhando o corpo. Mesmo o modelo em coluna funciona muito bem para a mulher ampulheta.

Não é que eu amo todos esses vestidos, mas eles servem apenas para ilustrar as soluções que funcionam melhor para cada tipo de corpo. Vale também lembrar que essas definições falam mais do desenho do corpo de forma genérica. Cada uma ainda deve considerar suas particularidades como, por exemplo, seios grandes, um bumbum avantajado ou um braço gordinho (todo mundo acha que tem, mas a maioria é neura, rs). Não que essas coisas sejam ruins, mas são elementos que podem ser favorecidos ou prejudicados dependendo de detalhes na modelagem.

Quem quiser saber mais sobre como estar certeira no dia do sim pode se interessar pelo novo pacote em edição limitada, o Manual da Noiva! Mais informações na aba de Portfólio e Serviços ou através do gabi@gabrielaganem.com.

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS