O título é sensacionalista, eu sei. Mas também sei que existem muitas mulheres que resistem ao rosa por conta dessa alusão à infância. Culpa da Barbie, talvez? Ou traumas de tanto nos empurrarem a mais emblemática “cor de menina”? A verdade é que o rosa pode ser um pouco discriminado (não tanto quanto o marrom, mas um pouco também). No entanto, acho que neste ano a Pantone acertou a previsão em cheio com o rose quartz: nunca se usou tanto rosa, neste século. E a vantagem das tendências é que elas nos permitem revisitar conceitos e rever nossas concepções…

img_3477   img_3480img_3487             
Pessoalmente, adoro rosa! Acho que é uma cor bonita, moderna e com variantes suficientes para que todo mundo tenha um tom legal para si. Felizmente a minha cartela conta com pelo menos 12 variantes da cor (que tem mais opções para peles frias). Não tenho tantas peças da cor quanto gostaria, mas as que tenho, eu amo. E para quem tem essa dificuldade com o rosa, tenho algumas receitinhas que podem quebrar essa imagem de que é uma cor infantil:

Elementos masculinos

rosaimg_3478

Usar rosa com itens do armário masculino cria um contraponto perfeito para quebrar a referência “menininha” da cor. Gravatas, sapatos pesados… Funcionam muito bem e dão equilíbrio.

Alfaiataria

img_3479

Não deixa de ser algo do universo masculino, por isso também é uma boa opção. Ternos, camisas, chemisiers… 

Com cores inusitadas:

img_3485img_3469
img_3467

Usar o rosa com outras cores inesperadas e mais “maduras” dão a quebra necessária para quem quer fugir do look menina. Vermelho vibrante, vinho, o verde… Amo rosa com verde! E não é por causa da Mangueira, rs. 

Com nude:

img_3494

O rosê com o nude ficam lindos juntos! Criam aquele tom sobre tom bonito e moderno que já falei por aqui. Ótima pedida sobretudo para meninas com coloração bem clarinha ou, opostamente, negras.

Em estampas modernas:

img_3492
img_3482img_3491

Padronagens geométricas, por exemplo, ou em outros estilos contemporâneos ajudam a dar uma outra abordagem à cor. O floral e outras estampas mais girlie reforçam aquela impressão que você não quer. 

 

Com peças utilitárias:

img_3489img_3486
img_3481

Jeans e/ou jaqueta são bons companheiros para o rosa. Essa cara mais “pesada” também serve para criar um contraste de estilos, que equilibra o styling.

Com cores neutras:

img_3488

Por fim, o mais óbvio, usar o rosa como uma pitada de cor em um look de tons neutros. Nenhum mistério! Mas o suficiente para um look moderno, contanto que as modelagens também sejam. 

Seja pink, rosê, blush, antigo ou outro, existe um rosa que pode servir para você – e te servir muito bem, inclusive. Vale dar uma chance e aproveitar para experimentar algo diferente. Essas são apenas algumas soluções para quem teme parecer muito menina com esta cor. Tirando isso, qualquer manifestação de rosa é bem-vinda – sobretudo neste mês!

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

Eu não sei como se deu este encontro, Marina Ruy Barbosa e Paris Fashion Week. Só sei que foi um encontro muito fortuito. Sempre bom ver brasileiras fazendo bonito na moda, ainda melhor quando é lá fora. E que sucesso tem sido a passagem de Marina pela capital francesa… Por que ela resolveu desfilar seu fashionismo pelos eventos parisienses ainda não sei, só sei que está fabuloso:

marina-ruy-barbosa-paris-_1marina ruy barbosa

Amei esta produção da Gucci, que brinca com contrastes entre o elaborado e o básico. Um casaqueto desses, cheio de cores e texturas pede um contraponto. Por isso adorei a escolha do jeans skinny detonado e da camisa branca. Gostei da pontuação com vermelho nos acessórios também. Acho que poucas de nós terão acesso a esta jaqueta, mas podemos usar a estratégia com outras peças similares. 

marina-ruy-barbosa-paris-_2marina ruy barbosamarina-ruy-barbosa-paris-_3

Nunca vi Marina tão bela. Talvez seja em parte o talento do fotógrafo, Leo Faria, que sempre nos deixa com uma cara de Photoshop, mesmo sem o tratamento (como nessa minha foto de perfil que eu amo e não desapego, rs). Não preciso nem dizer que a produção é Valentino, né? Este comprimento no tornozelo costuma ser bem ingrato. O scarpin de salto nude foi uma solução esperta para esta questão. Eu demorei para notar que não era midi. Gosto que ela foi com um sapato mais sexy, para opor ao romântico da roupa.

marina-ruy-barbosa-paris-_6marina-ruy-barbosa-paris-_7

Mais um Valentino, desta vez de festa, em seu vermelho clássico. Achei perfeita a escolha do coque despojado e da bolsa Rockstud, com tachas, ambos complementando com harmonia o vestido rendado. O caimento é impecável, com a abertura da saia na medida certa… Ela parece até mais alta!

marina-ruy-barbosa-paris-_5marina-ruy-barbosa-paris-_12

Já este look é Dior. A princípio achei que era saia e blusa, mas pelo que ela escreveu é vestido – e Couture! Nada mau. Adorei a parte da camisa e acho que este tom de azul é o ideal para ela (a confirmar com uma análise cromática). Misturar textura e estampa é um recurso muito bacana. Gostei de detalhes como o colar extralongo e a manga desfeita com cadarço pendurado. Acho que traz um pequeno caos necessário, para tanta perfeição. 

marina-ruy-barbosa-paris-_9 marina-ruy-barbosa-paris-_10marina-ruy-barbosa-paris-_4

Que linda nesta última foto Marina Ruy Barbosa! O styling de alguns looks é do Lee Oliveira, incluindo este para o desfile do Elie Saab. Adorei este vestido, inusitado para o estilista, mais ainda cheio de texturas e dimensões. O rabo baixo ficou perfeito para a sensualidade da roupa. 

marina-ruy-barbosa-paris-_15marina-ruy-barbosa-paris-_16

Em uma outra festa, Marina foi de longuete shiny disco ball, Dolce & Gabbana. Usar decote fechado assim num tubinho é uma boa estratégia para alongar a silhueta. Reparem como ela ficou longilínea… O styling deste look é de Juliano e Zuel. Cabelo solto, excelente escolha para o vestido de brilho, numa ocasião mais casual.

marina-ruy-barbosa-paris-_11marina-ruy-barbosa-paris-_14  marina-ruy-barbosa-paris-_13

Tem ainda as produções mais “gente como a gente”, como os que ela usou em fittings (experimentar as roupas da semana de moda) ou até um look aeroporto. Isso não quer dizer que sejam totalmente tangíveis, já que apenas em artefatos de couro ali acumula-se o PIB de Bangladesh. Mas são inspirações mais vida real. Queria comentar que amo ruivas de roxo, acho uma mistura linda, principalmente em mulheres de olho verde! Quem tem cabelo com colorido, nasceu predisposta a vestir colorido, rs. Gostaram dos looks da Marina Ruy Barbosa em Paris?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

A gente sabe como pode ser difícil para a mulher conquistar um espaço em patamar de igualdade com os homens no ambiente de trabalho. Este desafio é ainda maior quando se tem cara de nova, infelizmente. Escuto constantemente histórias de amigas ou clientes que passam por esta dificuldade. Advogadas que lidam com desconfiança dos clientes, médicas com sua competência questionada… “Seu pai sabe que você está na rua a esta hora?”. Talvez os rapazes com fisionomia jovem passem por algo parecido, mas para a mulher é um obstáculo duplo. 

Parecer mais velha

Ariana Grande te endende! Quantos anos ela tem? rs.

Por conta disso, algumas mulheres às vezes me perguntam como parecer mais velha. Outras também gostariam de aparentar mais maduras, independentemente do trabalho. Eu mesma me encaixo nesta categoria. Sempre gostei de ter uma imagem mais adulta, menos menina. Talvez por conta do meu tamanho, sinto que fica mais harmônico. Seja pelo trabalho ou por preferência, existem recursos para atingir este objetivo. Estes são alguns que costumo sugerir:

1. Cortar o cabelo:

screen-shot-2016-10-02-at-6-57-15-pm

Nada é mais eficaz para aparentar ter mais maturidade do que um bom corte. Cabelos longos são associados a jovialidade. Por isso passar a tesoura pode ser uma boa ideia. Não tem um comprimento certo, mas cortes médios ou curtos (como um long bob por exemplo) já contabilizam mais velinhas no bolo do qualquer um cabelão. Quem não quer mudar de jeito nenhum, pode recorrer a alguns penteados, como um coque ou rabo baixo, por exemplo. Mas cuidado com o rabo de cavalo alto, que é mais jovial. 

2. Maquiagem:

screen-shot-2016-10-02-at-7-03-01-pm

A maquiagem é uma ferramenta muito importante no ambiente de trabalho, sobretudo para quem tem rosto de bebê. Não sou eu quem diz, são as pesquisas. Não é muito justo, mas a maquiagem está diretamente atrelada a uma percepção de competência. Por isso, acredito que vale tirar proveito desta informação e usá-la a seu favor, por mais que seja uma demanda cruel. Um olho esfumado, um batom poderoso, uma sobrancelha marcada… Isso pode te ajudar a parecer mais velha.

3. Evitar elementos típicos de menina:

Parecer mais velha

Lacinhos, corações, flores… Estes elementos são muito associados a garotinhas. Por isso, ao menos no ambiente de trabalho, recomendo fugir destas formas em estampas, pingentes, ou outros detalhes. Se o seu estilo é romântico, vale se ater a modelagens ou tecidos do estilo e deixar o resto para a hora do lazer. Quem não abre mão, deve usar, claro, mas eu indicaria versões estilizadas destes desenhos. Um coração tortinho, um floral mais geométrico e laços tipo cadarço. 

4. Atenção aos detalhes:

Parecer mais velha

Na modelagem das roupas e acessórios também existem detalhes que podem remeter a uma idade menor. Por exemplo, a golinha arredondada, tipo Peter Pan, ou sapatilhas de bico redondo. Se você adora coisas deste tipo, vale compensar com itens que façam um contraponto com eles, como uma jaqueta, uma peça em couro ou uma cor inesperada. 

Claro que o ideal seria que a competência fosse o único critério de avaliação de uma profissional. Mas a gente sabe o quanto a imagem é importante para nós, humanos. Isso sem contar o sexismo habitual. Enquanto isso, se você busca parecer mais velha, ainda que apenas no trabalho, vale seguir estas dicas.

Beijos,

gabi