Se há poucos dias eu estava aqui dissertando sobre o cabelo loiro da Fernanda Paes Leme, hoje trago algo potencialmente mais prejudicial: o ruivo da Yanna Lavigne. E ambos os casos foram para uma mesma ação de tintura de cabelo. Acho que é quase unânime a reação das pessoas com esta transformação. Não vi muita gente apreciando, infelizmente:

Na minha cabeça, essas duas transformações depõem contra a marca. Não consigo nem achar um jeitinho de usar que me faça gostar mais. Dito isso, eu imagino e entendo que eu não sou o demográfico que esta campanha pretende atingir. Por isso é de se esperar uma certa rejeição de quem pensa como eu. E não é só por conta da Análise Cromática não. Acho que antes mesmo de eu saber o que era isso já não curtia essa mistura de tom de pele com um ruivo tão aceso

Apesar disso, é muito linda sim!

Ainda assim, do ponto de vista técnico, apesar de não ter uma regra ou lei, acredito que o ruivo colorido só funciona em pessoas coloridas (e não necessariamente todas elas). Calma que eu explico. Ontem me perguntaram se alguém poderia ficar bem com esse tipo de ruivo. Na hora pensei em Julianne Moore. Ela já usou potencialmente todas as variedades de vermelho no cabelo e raramente se sai mal. Eu atribuo isso ao seu colorido natural

 

Aliás, loira ela não fica tão mal assim , mas perde e muito para o ruivo, né? Por mim ela jamais deixaria de ter cabelo avermelhado. Qualquer um fica melhor que loiro ou castanho. Lembram da Dakota Johnson? Eu elegi um ruivo para ela no “Se esse cabelo fosse meu” que ela protagonizou. Acho que o colorido do rosto também explica no caso dela. Não só o de Dakota, como ainda o de algumas celebs que já experimentaram o ruivo com certo êxito:

Não estou entrando no mérito da cartela, apenas observando como ter traços coloridos pode coordenar bem com o cabelo vermelho. Isso explicaria porque a Rihanna fica um bocado melhor ruiva do que a maior parte das negras e morenas. O que não quer dizer que eu a prefira assim (ou as demais), rs. Esta semana eu estive no curso de formação em Análise Cromática da Dresscode e aprendi uma nova terminologia em relação ao “contraste colorido“. Vou estudar mais um pouco sobre ainda, mas sei que seria algo que colocaria em termos técnicos esta minha teoria. No caso da Yanna Lavigne, ela é tem uma cor mais homogênea entre seus traços. Por isso eu acredito que não cabe um tom de vermelho. O que acharam da transformação?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

Eu torci muito para que isso fosse só um boato quando ouvi da primeira vez, mas não era: os óculos pequenos são o modelo da vez. Não é que eu seja obrigada a usar agora mas sei que vai ser muito mais difícil do que já era encontrar modelos grandes, que fiquem grandes em mim. Como vocês sabem, são 1.80m de pura Gabriela, na altura e na largura, mais ou menos, rs. Eu já sei que dificilmente irei aderir. Mas e você? Como fica com a tendência dos óculos pequenos?

Quase um tapa-olheira…

Se Kanye West se deu ao trabalho de mandar um comunicado para a Kim Kardashian dizendo que ela só poderia usar óculos pequenos dali por diante (rindo de nervoso), era de se esperar que a coisa ganhasse força. E ganhou mesmo. Não tão graças à Kim, mas talvez, em parte, por conta de uma das suas irmãs mais novas e suas amigas. Kendall JennerBella Hadid (adepta level hard), Gigi Hadid… Essa galera não tirou os óculos pequenos do rosto. E depois que a Rihanna usou o danado no tapete vermelho, ele automaticamente deixou de ser tão feio. Rápido assim!

     

Referência?

Claro que é mais um resgate dos anos 90… Quem sabe até uma coisa meio Matrix esteja rolando. Cá entre nós, para mim é de longe um dos períodos fashion menos atraentes. Espero que passe rápido! Esse negócio de mom jeans e tênis branco não é para mim. O mesmo posso dizer dos mini óculos. Primeiramente, proteção UV ali é obsoleta, rs. Mas além disso, não veste nada bem! Se vocês notarem, a maioria delas usa o dito cujo mais para a ponta do nariz. Isso porque ele não funciona tão bem no rosto, a menos que seja um modelo mais largo. Observe o gif que eu fiz no Toscoshop:

Como sempre, o problema é a proporção. Se você usar óculos muito grandes num rosto pequeno, ele vai parecer ainda menor. Já para os óculos pequenos num rosto grande, o rosto parece ser muito maior. Essa desarmonia pode causar um bocado de estranhamento e até ressaltar formatos que já fogem do formato de rosto oval, que é o mais proporcional. Quem tem um nariz grande, por exemplo, e que gostaria de atenuar também corre o risco de destacar esse traço. [Lembrando que eu amo nariz grande]. Eu sou toda graúda, por isso minhas bijoux, óculos, bolsas e afins são todas relativamente maiores. Meu brinco “pequeno” é grande para muita gente, rs. Do contrário fica como um Doberman usando roupa de Chiuaua. Faz sentido?

Então se você tem traços delicados e é mignon, uns óculos pequenos podem ser ótimos. Se você é como eu, já não indico tanto. Ou se fizer questão, eu recomendo pegar um desses de super gatinho da Les Specs que a Gigi está usando, que é um pouco maior. Ou pelo menos algo nessas dimensões. E sim, prometo que vou fazer um post mais detalhado de óculos ainda. Até porque tem muito mais coisa para observar! O que acham dos óculos pequenos?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

Acho que eu nunca recebi tanta mensagem e comentário pedindo uma pauta… Fernanda Paes Leme ficou super loira e as pessoas tiveram uma reação bem parecida com as que eu costumo ter, rs. Eu sei que às vezes me acusam de não gostar de cabelo loiro, mas desta vez acho que ninguém vai  questionar quando eu digo que isso não tá bom:

Eu não quero chatear ninguém. Eu sei que a própria Fernanda Paes Leme andou lamentando as pessoas se queixando do seu cabelo novo e eu concordo que é mesmo muito chato. Mas meu papel aqui não é reclamar. Até porque, cada um faz o que bem entender com seu cabelo. Desde que se esteja feliz, está tudo certo. Eu não venho aqui para criticar gratuitamente. A ideia é que a gente use os casos das celebridades como oportunidade de aprendizado. Eu sei que, como virginiana, o lado crítico é algo bem exacerbado e que vem de fábrica, rs. O plano é converter isso em algo bom para todos, inclusive, quem sabe, a própria Fernanda Paes Leme. 

Na minha cabeça não resta a menor dúvida de que ela nasceu para ser morena. Aliás, ela é linda de qualquer forma, mas morena ela é um espetáculo. Ainda assim, eu acho que todo mundo tem que ter direito ao seu loiro. Se bater a vontade fica querendo? Nada disso. Eu sou a favor da expressão pessoal, rs. Se pudessem ser só luzes, melhor, né? Mas se não puder, a gente dá um jeito. 

Primeira questão que tenho com este cabelo novo e que ouvi da boca de muita gente: está muito amarelo, pelo menos na foto. Existe algo de errado com fios amarelos? Por si só, não. Inclusive salvei umas referências sensacionais na minha pastinha de cabelo colorido no Pinterest, que nunca tinha visto igual (apenas para contemplação, fiquem tranquilas que não farei, rs). O problema é quando fica nítido que não foi uma escolha intencional. Além disso, tem a questão do tom de pele. Meu palpite é que a Fernanda Paes Leme tem um tom de pele neutro. Sendo assim, o cabelo amarelo a deixa amarela

   

Aliás, isso é outra coisa que eu gostaria de dizer… Só dá para saber o tom da pele ao certo com uma Análise Cromática, certo? E quantos cabeleireiros vocês conhecem que fazem isso? Exatamente, eu não conheço nenhum. Então não tem como o profissional saber com certeza que a cor não estará adequada. Por isso que eu quero partir em defesa dos profissionais da área e dizer que não é culpa deles. É conhecimento restrito ainda. Não é informação disseminada (ainda, rs). E também não acho que é uma exigência para eles… Embora fosse um ótimo diferencial. Inclusive, já estive no mesmo salão que ela duas vezes e foi tudo muito bom – muito embora eu não pinte o cabelo.

Agora, supondo que a Fernanda Paes Leme tivesse feito uma análise cromática e meu palpite fosse correto, tem mais uma questão com essa cor: está muito saturado e vivo. Já que era para platinar, minha recomendação seria fazer algo mais suave e mais neutro:

Um ajuste minúsculo, mas com efeitos gigantescos, na minha humilde visão. O que eu fiz aqui foi deixar a cor um pouco mais suave e ligeiramente mais fria. Acho que é uma cor mais adequada para uma pele potencialmente neutra. E reparem que não chega a ser muito branco também. Acho que fica um bom meio-termo. Aqui consigo ver que a pele já não está amarelada como antes e o olho até um pouco mais aceso. É uma mudança pequena, mas já funciona melhor para mim. Dito isso, eu não acho que um cabelo tão claro é o melhor para ela. Se o cabelo fosse meu e eu precisasse ficar loira mesmo, seria algo mais próximo disto aqui:

#ToscoshopDaGabi

Minha versão loira da Fernanda Paes Leme é algo bastante mais próximo da cor natural dela, ainda que loira. Fiz um loiro ombré com raíz. Isso porque apesar de o platinado que eu fiz já ser um tom aparentemente mais adequado, ele não considera tanto o contraste. Além de ficar mais harmonioso a meu ver, ainda tem uma manutenção infinitamente mais fácil. Além do olho ter mais brilho e a pele não ficar amarelada, sinto que ganhou mais viço também. Mesmo no platinado que eu editei no Toscoshop a cor muito clara a deixa mais pálida. 

Não sei se vocês vão notar o mesmo que eu, afinal tem a variação de tela para tela. Além disso, é uma foto bem maquiada e produzida. Idealmente, teríamos algo mais ao natural para fazer este experimento. Espero que vocês consigam perceber o mesmo que eu, rs. Moral da história: não está bom, mas não é culpa de ninguém. E no mais, cabelo cresce… Ainda bem! O que acharam da transformação e da alternativa? O que preferem?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS