Rolou há poucas horas o Brit Awards 2018. Eu esqueci que tinha esta premiação… Então parece que tivemos mais um tapete vermelho antes do Oscar no fim das contas, rs. Este red carpet rendeu mais uma tentativa de assassinato contra mim. Se Jennifer Lawrence tentou me matar há dois dias, desta vez o tiro veio da Dua Lipa. Nada pacata essa semana que ainda estava numa quarta-feira:

Como diria Katy Perry: “Morta! Linda”!

Que colosso Dua Lipa no vestido Giambattista Valli que você já viu mil vezes, ainda que não se lembre. Tem post no Fashionismo sobre o dito cujo, contando de suas aventuras. A marca deve estar nadando em dinheiro, tamanha a popularidade, rs. E não é que ela ficou deslumbrante? Mais que o habitual (aliás, eu adoro as músicas dela e escuto em looping). Mas aí você pode questionar: como a Dua Lipa com seu alto contraste pode ficar bem num rosinha tão suave? Trago respostas!

Taca-lhe preto nesse olho!

Lembram quando escrevi sobre o drama de ser alto contraste e querer vestir bege e nude? Naquele post eu já dei o caminho das pedras. Eu sei que ela não leu, mas seguiu tudo assim mesmo, rs. Para não ficar abatida com uma cor tão clarinha, Dua Lipa usou pelo menos uns 3 truques:

Cabelo Solto :: Já ensinei a usar o cabelo como escudo antes. Se a roupa é muito apagada, crie uma margem com seu cabelo escuro. Ele ajuda a chamar atenção para o rosto e a filtrar um pouco a cor muito apagada.

Laço preto :: As cores só interferem no rosto da cintura para cima. Mas isso inclui a cintura! O cinto de laço preto fez toda a diferença. Isso sem contar que fez uma simetria espetacular entre cabelo, cinto e sapato (aliás, perfeito). Amei o styling!

Make mais carregada :: Eu costumo preferir o batom para esta compensação de contraste, mas ela foi no olhão. Nada de errado com isso. Caprichou bem no olho preto e o rosto segue em destaque, mesmo de longe. Sem contar que a boca também teve uma corzinha discreta. Ótimas escolhas!

Existe ainda mais uma possibilidade para explicar tamanho sucesso: essa cor pode estar na cartela dela. Isso é pura especulação, mas é uma possibilidade. O que não dispensa o uso do contraste, afinal são informações complementares. Considere a cartela é a roupa e o contraste é o styling numa produção. Não sei se é a melhor analogia, mas é quase isso mesmo na prática. Ou seja, supondo que o rosa fosse mesmo da cartela dela, seria um acerto bem no meio do alvo. Mas não estou afirmando nada! Apenas supondo, rs. 

No Brit Awards 2018 ainda tivemos outros looks interessantes. Eu diria que foi um bom red carpet, com direito a dois Ralph & Russo, com Rita Ora (espetacular) e Camila Cabello (mas esse nem gostei tanto). Teve ainda a Hailey Baldwin aplicando a lei do contraste de um modo inusitado e Rosie Huttington-Whiteley com um pretinho nada básico:

Camila Cabello de Ralph & Russo e um tanto séria. Achei que fez um corpo esquisito.

Rosie linda! Mas que nervoso deste pé… Esse sapato, com essa biqueira, se fosse na minha perna era pé de porco na certa.

Hailey Futurista

Rita Ora também merecia um post só dela! Que escândalo! E eu adorei os cachos bagunçados. Fez um bom contraponto com o vestido. Só teria ido sem o dente de ouro que ela colocou em um dos caninos. Não precisava, rs. Mas voltando ao contraste da Dua Lipa, alguma dúvida? Conseguem ver como ela fez tudo funcionar?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

Ou tem? Se você perguntar sobre tipo físico para qualquer brasileira, 11 entre 10 delas vai te responder alguma coisa relacionada ao seu quadril grande. Eu acredito que exista sim uma predominância de corpos tipo triângulo (lembram do post de tipo físico?), também conhecido como pêra. Afinal, nossa miscigenação contribui muito para isso e não é à toa que nossas  cadeiras são reconhecidas internacionalmente – virando até nome de cirurgia plástica, a tal Brazilian Butt. Mas porque você tem um quadril grande quer dizer que você é de corpo triângulo? Não necessariamente…

Como eu sempre digo e repito, o que a consultoria de imagem avalia nunca é a medida absoluta. O que entra no mérito é a proporção, que não pode ser avaliada sem relação. Ou seja, mais uma vez, é tudo relativo. Lá no post de tipos físicos eu expliquei que a proporção ideal é o ampulheta. Veja bem, quando eu digo ideal, não é o que a Vogue falou. “Ideal” porque é o que os nossos cérebros esperam. Não tem tanto a ver com cultura, mas com nosso chip de fábrica mesmo, como humanos. Então não briguem comigo por “validar um padrão”… A culpa é dos nossos neurônios, rs. Retomando, no corpo ampulheta o quadril e os ombros são visualmente da mesma largura e a cintura é menor que ambos. Muito menor, pouco menor? Tanto faz, desde que seja menor. 

quadril grande

Bumbum não é necessariamente quadril

Sendo assim, ainda que seu quadril fosse do perímetro do globo, se seus ombros também fossem, você ainda seria ampulheta. E se os ombros forem ainda maiores, mesmo com quadril grande, você provavelmente teria um físico triângulo invertido. Claro que eu estou exagerando um bocado. Afinal, sou a pessoa mais hiperbólica do mundo (ba dum tsss!). Mas o alerta vale para quem acha que está fora da proporção e talvez não esteja. 

quadril grande

Marquita Pring, modelo plus size – ou como quiserem chamar: 114 cm de quadril (o mesmo que eu, rs) e corpo ampulheta. 

Para quem realmente tem um quadril grande e que é visualmente maior do que os ombros (ou que tenha ombros estreitos), não precisa se lamentar também. Afinal, truque não falta! Basta diminuir visualmente o quadril ou aumentar os ombros – ou ambos. Por exemplo: uma saia escura e um blazer claro. Bem simples, né? Ou um decote ombro a ombro, que é febre há anos. Ou uma parte de baixo sequinha com blusa chamativa… Recurso não falta:

[É vitrine! Pode clicar na peça se quiser comprar.]

Enfim, não importa tanto o seu tipo físico ou se você tem quadril grande. O importante é saber qual é este tipo e qual demanda você tem para equilibrar proporções. Apesar de todas as ponderações acima, eu mesma sou triângulo. É por pouco mas sou, rs. Por isso que eu geralmente estou de calças escuras e/ou blazer. Já é um reflexo! E vocês? Vão sair deste post com o mesmo tipo físico que achavam que tinham quando clicaram? Ou descobriram algo diferente?

Lembrando que estou começando a elaborar novos lançamentos e conteúdo exclusivo para e-mails. Quem quiser ir além do blog precisa apenas se inscrever neste formulário abaixo:



 

Algumas pessoas tiveram problemas com ele, então pode acessar também o formulário clicando neste link e preenchendo seu e-mail. Se tiverem mais problemas, me avisem. E obrigada a quem deu o toque!

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

Ontem recebi um monte de marcações e directs no Instagram a respeito de um dos últimos looks Kate Middleton. A Princesa (princesa sim, ora) surgiu com um modelito amarelo estampado de cetim da Erdem e eu diria que não caiu muito bem. Em algumas fotos ficou tão prejudicada que cogitei que não estivesse bem de saúde ou que esteja grávida de um menino (a crendice popular diz que deixa a mãe meio abatida, sei lá, rs). Sinceramente, se eu estivesse grávida, não teria a menor paciência para uma social da nobreza. Seria só Netflix na horizontal. Então já aplaudo o esforço! O que não quer dizer que a gente não possa aprender com ela…

Acho que que Kate Middleton criou uma certa reputação e expectativa para seus looks, por isso a decepção e comoção geral. Mas veja bem, o vestido não é feio. O vestido só não é para ela… Talvez seja meio “matrona”, mas não é a tragédia que ficou o resultado final. Minha teoria é que não só a cor estava infeliz, mas também o tecido. Resolvi fazer um experimento com o Toscoshop e mudar todo o vestido:

Amarelo ocre de cetim estampado

Azul suave com acabamento tipo de crepe

kate middleton

Neste toscoshop eu mudei não só a cor do vestido da Kate Middleton, mas também o acabamento do tecido. Mudei de brilhante para fosco. Quem é minha cliente e é opaca já sabe que o tipo de material também interfere na coloração. Observem como no vestido original a pele dela parece amarelada e como se notam mais os sombreados. Os olhos também estão mais foscos. Ficou com uma aparência levemente envelhecida e cansada. Já na versão alternativa ela ficou com uma aparência um pouco mais viçosa e luminosa. Sem contar que a pele está mais homogênea.

Tem mais uma coisa: este tecido amarelo faz com que o vestido a ofuscasse completamente. Primeiro você vê o vestido e um tempo depois é que se nota ela. Com a opção azul, mais suave, ela está em harmonia com as cores e o acabamento. Eu não sei exatamente qual é a cartela da Kate Middleton… Pode ser que ela não tenha a cor que eu sugeri na sua estação. Apesar disso, já é um ganho bem nítido deste amarelo para o azul. Pode ser pelo tom, pode ser pelo brilho, pode ser pelo contraste… Mas que ficou melhor, ficou, né? Conseguem ver a diferença?

Pretendo lançar algumas novidades neste ano. Se você quiser ficar sabendo primeiro, inscreva-se na minha lista (essa é diferente da newsletter com os últimos posts do blog, para essa é só se inscrever na barra lateral do blog):



Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS