LOOK DO DIA :: FASHIONISMO 10 ANOS

Estilo
21/06/2018

Há alguns dias estive numa festa maravilhosa, para celebrar uma ocasião ainda melhor: os dez anos do Fashionismo, blog da espetacular Thereza Chammas. Além de ser a melhor blogueira, ocorre de ser uma grande amiga minha e excelente ser humano. O Fashionismo tem um background 100% ligado à moda (como o nome sugere) e à faceta mais glamurosa deste universo – que é a melhor parte, convenhamos. Por isso, a celebração tinha como tema “brilho“!

Fotos :: @Fotovitor – Vitor Fernandes

A festa aconteceu no rooftop do hotel Laghetto na praia da Barra aqui no Rio e todo mundo caprichou bastante. Brilho não é problema para mim (ou para a minha cartela, felizmente). Pelo contrário! Eu uso brilho no dia-a-dia. Meu cardigã de lurex merecia seu próprio RG e CPF de tanto que uso. Mas como fazer diferente quando o brilho já está no seu cotidiano? Ao invés de paetês ou lurex, resolvi abordar o brilho de outra forma: com veludo. Ou melhor, com veludo e cor! E não qualquer cor, pink

Vestido: Zara | Sandália: Pé de Anjo

O rosa pink de inclinação fria é uma das cores da minha cartela que eu mais gosto. Além disso, é quase a cor tema do Fahionismo. Por isso, não tive dúvidas quando cruzei com este modelito na Zara (na verdade tive sim, mas depois pareceu destino, rs). E a verdade é que veludo seria um jeito inusitado de vestir brilho. Mais sorte ainda foi que o vestido é de comprimento midi – meu favorito, pelo menos para mim mesma.

Muita gente acha que midi é só para gente alta mas é mais uma questão de ajuste de altura do que de ser midi ou não. Lembrando que não é tanto mérito de altura, e sim de proporção. Se você é baixa e longilínea, não precisa compensar muita coisa. E vice-versa. No meu caso, gosto de usar a um palmo (fechado) ou dois do meu joelho. Abaixo disso acho que me achata demais. Acima disso eu prefiro numa versão mais justa, tipo saia lápis – bem Mad Men.

A vantagem deste modelo é que ele tem uma manutenção facíl, tem uma cor boa para mim, veste super bem e ainda custou R$199,00. Preço amigo! Minha dúvida era se eu iria usá-lo muitas vezes depois disso. Manga longa e veludo no Rio de Janeiro não é algo que funciona o ano todo, rs. Mas vou aproveitar bastante enquanto houver frio…

Brinco: Asos

Eu já falei aqui pelo menos uma vez sobre o combo verde e rosa. Não tem nada a ver com a Estação Primeira de Mangueira, mas é minha dupla cromática favorita. É linda, é inusitada, é feminina e ainda cai super bem para a minha coloração e contraste se for em tons assim. Vale lembrar que no círculo cromático de pigmentos o verde é complementar ao magenta, que é tipo um rosa pink mesmo. 

Eu já tinha mostrado esse pedacinho no Instagram, com um pouco da maquiagem e do brinco. Eu adoro este brincão verde. Ele é da Asos, comprei numa época que foi tendência mas acabou encaixando no meu acervo permanente, rs. Casei com essa bolsa de acrílico antiga, também verde. Nos pés, muita gente talvez recorresse ao preto ou nude. Eu aproveitei a temática da festa para incorporar um prata. Lembram que eu sempre digo que metalizado vale por dois? É porque combina com tudo – inclusive verde e rosa. Já na maquiagem, para não ficar muito casadinho, coloquei um batom meio uva, o Pausa para Selfie da Maybelline. Bem Ultraviolet, né Pantone? Gostaram?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

LOOK DO DIA :: SAIA LÁPIS INFORMAL
LOOK DO DIA :: MAC WORLD AIDS DAY
LOOK DO DIA :: SHORT + SALTO
LOOK DO DIA ::: PALESTRA OUTUBRO ROSA

ONCINHA É NEUTRO?

Estilo
16/05/2018

Como é a sua relação com a estampa de oncinha? Na primeira metade da minha vida lembro bem que era um divisor de águas. Um ame ou odeie. E, geralmente, não estava exatamente associada a “bom gosto”. Por conta disso, acho que este animal print sempre carregou um estigma ruim. Era associado a vulgaridade ou falta de elegância. Uma verdadeira injustiça, se você me perguntar… 

Eu vejo a oncinha como um neutro. Não do ponto de vista cromático, é claro, mas do styling. Eu acho que oncinha pode ser um item básico nos nossos armários: preto marinho, branco off-white, jeans e onça. Nesta altura do campeonato você pode estar questionando meu bom senso. Ainda assim, eu acho que oncinha é um grande curinga do armário, sobretudo nos acessórios. Uma boa rasteira ou sapatilha de oncinha vai com qualquer coisa, não é? Inclusive o próprio preto-branco-jeans, com o diferencial de deixar a mistura infinitamente mais interessante. Se eu vivo falando do sapato nude e/ou metalizado, o de onça poderia ser o próximo na sua lista (bem antes do preto, inclusive). 

Este é meu look favorito de todos os tempos de Olivia Palermo. Sério. E olha o sapatinho ali!

Se sapato estampado não é o seu forte, pode ser um cinto ou uma bolsa. Para quem é mais desencanada, pode entrar na terceira peça, por exemplo (eu tenho um cardigã na estampa que eu adoro). Já para as criativas, pode ser a roupa toda ou até um mix de estampas, que eu sou particularmente fã. As funções e variações são inúmeras. Até me encontrei no Google usando estampa de oncinha de várias formas:

Meio girafa, mas ok. Dá para ver pela minha cara o quão antigos são alguns destes looks, né? Então não julguem as tendências da era Cybershot com o olhar de hoje, ok? Só estou mostrando mesmo para provar que é um “façam o que eu digo – e faço”, rs.

A ideia mais versátil e mais fácil de incorporar é um simples lenço. E o bom do lenço é que fica mais fácil ser seletiva por existir muita oferta por aí. Falo em seleção porque não podemos esquecer da principal coisa quando o assunto é estampa de oncinha: o fator Cara de Caro. Eu não consigo enumerar exatamente o que determina o aparente poder aquisitivo de cada estampa, mas acho que o material, a cor e a dimensão das pintas são vitais a se observar. Quanto mais próximos do animal real, melhor. Um sapato com pêlos de verdade, um lenço de seda fosco, pintas irregulares… Algumas das coisas que eu observaria. Fiz uma vitrine para dar uma ideia:

Claro que ninguém é obrigada a gostar de oncinha. Mas quem estiver em cima do muro pode tomar este post como um empurrãozinho, rs. E quem gosta mas não conseguiu incorporar ainda, fica aqui o desafio. Comece pequeno e em breve você vai achar tudo mais óbvio. Fica ainda este depoimento: quando minha cliente tem um sapato de oncinha, este é quase sempre um dos que mais uso montando looks. É versátil mesmo! O que acham?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

ANÁLISE DOS LOOKS DA PREMIERE DE AVENGERS 3
COMBO CROMÁTICO :: AZUL E AMARELO
AS 3 BOLSAS DA MINHA VIDA
MIX DE ESTAMPAS CORRIDAS + ESTAMPAS LOCALIZADAS

OS MEHORES LOOKS DO MET GALA 2018 SEGUNDO EU MESMA

Estilo
08/05/2018

Rolou nesta última noite um dos eventos mais badalados do ano para fashionistas e notórios, o Met Gala 2018. Este é o baile anual da revista Vogue no famoso museu em NY. Quem já assistiu a Diabo Veste Prada provavelmente sabe do que se trata… A ocasião é uma espécie de festa temática e, em 2018, o tema foi sobre criaturas celestes, uma referência ao catolicismo. Pessoalmente, adorei esta inspiração! Roupas religiosas são sempre inusitadas e rendem boas ideias para uma festa deste porte. Lembrando que, para quem não sabe, nesta festa tem um grande tapete vermelho (bege, né?) com looks bastante dramáticos. E existe coisa mais interessante na moda? rs.

Blake Lively costuma ser mesmo um centro das atenções no Met Gala e a expectativa é sempre enorme para ela. Ainda assim, nada poderia nos preparar para o que estava por vir… Nem os mais elaborados figurinos de época já tiveram algo tão espetacular quanto seu Atelier Versace. O que eu mais gosto é que, embora seja quase uma fantasia, os detalhes diferenciam para dar aquela abordagem fashion. Amei o caimento, a transparência na virilha cavada e o decote, devidamente equilibrados com bastante pano, rs. Sem contar que a cor é perfeita. Entrou para a história do evento. Parabéns Blake! Agora me empresta… E obrigada por não usar preto.

Zendaya é uma entidade fashion e não decepcionou nem um pouquinho. Aliás, diria que teve a melhor ideia para um evento com tema de “igreja católica”: Joana D’Arc. Que ícone! E que execução nesta roupa… Dá para ver a referência nitidamente (a peruca ajuda bastante também, embora esse ruivo com o prata tenha me dado um certo nervoso). Parabéns e Obrigada por existir.

Se esta não foi o melhor look da Kim num Met Gala, eu não sei qual foi. Algumas pessoas me mandaram mensagem falando que ela estava igual à Monica Belucci. Acho que não existem elogios muito melhores do que este. Eu adorei tudo e não mudaria nada! A maquiagem está um espetáculo, o cabelo está indefectível e o Versace vestiu como cinta modeladora. Aliás, falando em cabelo… Muitos apliques nesta festa. Acho que cabe com o tema e nem senti a rejeição habitual que costuma bater quando vejo um cabelo de um quilômetro.

Diane Kruger é outro ícone deste tapete vermelho e não ficou atrás desta vez. Acho que nem todo mundo vai apreciar mas eu adorei. Esta cor é sublime para ela e me lembra muito essa coisa celeste do tema. Adoro que ela sempre ousa e dá certo. Maravilhosa!

Eu não vou dizer que este amarelo é perfeito para Amanda Seyfried e também não vou dizer que não é. Dependendo da foto (e do flash na moça branquela) a coisa funcionava ou não. Mas eu vou não consegui não amar esse look para ela. Eu adorei o caimento, o contraste, o cabelo. Ela ficou jovial e feminina. Deu muito certo.

Bea Schaffer para quem não está familiarizada é ninguém menos que a filha do diabo, digo, Anna Wintour. Ela sempre tem uns looks maravilhosos e desta vez, apesar de não ter investido tanto no fator “fantasia”, acabou me ganhando com seu Valentino vermelho-valentino. Eu não sei o que é sobre este vestido mas eu fiquei hipnotizada. Acho que é o ombro caído com um laçarote. Ficou muito bonito. Sem contar que a cor está na mosca, pelo menos no contraste. Acho que este é o tom de vermelho perfeito. Katy Perry não foi tão reverenciada quanto Riri mas eu diria que a roupa está num patamar de igualdade. Eu amei e aprecio o investimento neste look de anjo, super ambicioso. Ainda sinto saudades de Katy morena, mas pelo menos a coloração ficou equilibrada. Arrasou!

Francisco poderia oferecer um co-papado para nosso ícone mais icônico vestida de Papa. Aliás, chegou no Met Gala num Papa-móvel e eu morri de rir (tem registro nos stories). E mais do que esta roupa impecável de uma tonelada de bordados criada por Galliano para a Margiela, Rihanna tem atitude que transcende a própria roupa. Não tem para ninguém. Falando em Galliano, eu sei que o que ele fez é imperdoável, mas eu senti saudades do seu talento, confesso.

Eu acho que este tapete vermelho do Met Gala foi um sucesso… 2018 vai dar trabalho para 2019! Eu diria que o tema ajudou muito e estava na hora da moda resgatar uma coisa mais barroca e menos minimalista. Pelo menos eu estou pronta e ansiosa. E também seria ótimo se esses adornos de cabeça se tornassem socialmente aceitáveis para o dia-a-dia. Cada um mais espetacular que o outro. Qual o favorito de vocês?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

CABELOS BRANCOS :: QUANDO É A HORA?
UMA BREVE ANÁLISE DO VESTIDO DE NOIVA DE MEGHAN MARKLE
ANÁLISE DOS LOOKS DA PREMIERE DE AVENGERS 3
A MULHER, O TRABALHO E A CONSULTORIA DE IMAGEM