08/02/2018

Isso é a minha maneira de dizer que eu não sou grande fã do carnaval? Com certeza. Desculpa mundo. Apesar de carioca com orgulho, não tem nada menos atraente para mim do que um bloco de rua. A Sapucaí sim eu acho o máximo mas não estou com esse prestígio todo, rs. Se você é como eu e prefere uma noitada com o DJ Pillow à folia, vem comigo dar uma olhada nesses pijamas perfeitos para passar os 5 dias na horizontal:

  Estrelado | Listrado | Azul bebê

Tem para todos os gostos, dos mais confortáveis aos mais sedutores… Mas nada muito exuberante, afinal é feriado. Confesso que eu nunca fui muito uma pessoa de pijamas, sempre juntei duas peças de roupa velha e tava ótimo. Também sou grande adepta de cuecas samba-canção com blusa de alcinha. Com o tempo a fronteira da roupa e dos pijamas ficou cada vez mais tênue, rs. Talvez por isso (ou com a idade, abafa) tenho sentido uma vontade de comprar uns pijamas de verdade

Branco e cinza | Robe | Camisola Best Dressed | Baby Doll | Listras Coloridas | Camisola preta

A verdade é que eu sempre achei que não valia a pena gastar o valor de uma roupa num traje para dormir. Mas isso tem tanta lógica quanto não comprar lingerie bonita porque ninguém (supostamente) vai ver. A gente não pode ignorar o poder que uma lingerie bonita tem na nossa confiança… Por isso, quero aplicar o mesmo princípio para os pijamas. O que vocês acham?

Baby doll marinho | Tucano | Baby Doll azul bebê | Banana | Preto rosê e azul | Cinza listrado

Voltando ao Carnaval, pensei em tornar este post um pouco mais interativo. O que vocês vão assistir nas férias? Sim, tudo um pretexto para descobrir umas séries novas. Eu vou recomendar algumas recentes que eu mais gostei nos últimos tempos: The Handmaid’s Tale, The Good Place, This is Us, La Casa de Papel, Dark e The Sinner. Espero que contribua com o entretenimento dos próximos dias… Bom carnaval a todos, com folia ou sem!

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

27/01/2018

No começo do mês eu falei sobre como seria meu armário se eu só tivesse 3 sapatos (ou 4, ou 5…). Hoje me ocorreu que posso fazer o mesmo com bolsas. Não só três modelos de bolsa aleatórias mas aquelas dentre as minhas que eu não viveria sem hoje. Quais bolsas eu levaria para uma ilha deserta, supondo que esta tal ilha nem tão deserta tenha vida social? São elas:

Clutch tortoise :: Uma das melhores compras da minha vida. Essa clutch é vintage. Comprei na feira do Lavradio, no centro do Rio. Na época, a moda vintage era febre e eu fui lá com uma verba qualquer que gastei todinha, rs. Adquiri muitas coisas, umas legais e outras grandes furadas. Mas essa clutch é minha fiel escudeira. Uso para todos os casamentos, porque fica linda com tudo. Ainda levo para alguns jantares ou outras ocasiões mais alinhadas. E olha que eu tenho muitas clutches (foi uma fase meio compulsiva, minhas amigas agradecem e usufruem do acervo). Mas essa é aquela que eu quase nunca empresto. Meu xodó! Além disso, tem um espelho enorme dentro, rs. 

[Acabo de perceber que não sei onde está este vestido]

Bolsa tiracolo verde :: Se você já viu qualquer look meu por aqui, certamente já cruzou com a minha verdinha. Ela é da Manufact, feita com couro de peixe e tem aquele formato da Chanel que todo mundo faz. Cabe toda a minha vida: celular, bateria extra, carteira, chave, mil brincos perdidos no fundo, uns três batons que eu não lembrava onde estavam e uns sachês de sal da última vez que eu fui ao cinema. Comporta tudo! O que eu mais gosto nela é que sempre dá uma diferenciada nas produções. Uso mais que todas. Outro plus são as ferragens. A corrente é robusta. Faz estrondo quando coloco na mesa. Isso dá muita cara de cara para ela. 

Bolsa Speedy 40 :: Alguns diriam que o charme desta Louis Vuitton ficou na modinha de 2010. Pois eu digo que nunca tive bolsa tão leal. Ela aguenta todas as porradas (boto no chão, uso como mala…) e nem se abala. Comprei quando morei em Londres e arrisquei no tamanho. Essa é a 40, gigante em comparação às habituais, mas era essa que eu queria. O vendedor disse que era a primeira vez que ele endossava a grandona para uma mulher – que, no caso, é grandona por sua vez. Usei todo dia enquanto morei lá. Colocava garrafa, pashmina, luva, gorro, material da aula, guarda-chuva e mais coisas para umas três encarnações de Gabriela. Ela nunca reclamou ou deu sinal de cansaço. É minha malinha para viagens curtas. Muito generosa. Pode vir modinha e sair modinha, meu amor não muda. Sem contar que já, já é tendência de novo, rs.

Essas não são necessariamente as que eu mais uso, até porque tenho muito mais demanda para bolsa tiracolo do que para uma clutch, né? Mas se eu fosse viajar para um lugar desconhecido e só pudesse levar 3 bolsas, com certeza seriam essas. Muita gente vai estranhar o fato de não haver uma bolsa preta. Eu canso de dizer isso: ninguém precisa de bolsa preta. Você pode gostar e ter quantas você quiser (num limite saudável). No entanto, não existe esta obrigação. Não é sequer a cor mais versátil! E para quem duvida sobre o quão multifacetada pode ser uma bolsa verde, basta observar meus looks postados aqui. A verdinha e eu temos um relacionamento estável, rs. E vocês? Quais seriam as três bolsas da sua ilha deserta (não-deserta)?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

27/01/2018

seda

Blusas de seda costumam ser meu uniforme, principalmente no verão (mas não exclusivamente no verão, rs). O problema é que esse material não é exatamente barato. Na verdade é bem caro se comparado aos genéricos. Mas a seda é algo muito mais sofisticado e fresco do que um genérico seu, o poliéster, por exemplo. Dependendo do seu trabalho, estilo pessoal e estilo de vida, é mais vantajoso ter uma boa blusa de seda do que duas de material sintético (numa loja barata, né?). Na última vez que falei sobre isso, me pediram indicações de lugares para comprar blusas do material. Por isso, resolvi fazer uma vitrine com algumas peças básicas:

É só clicar na peça para ir para a loja e comprar

O melhor é que nas duas montagens somadas, tem blusa para todo tipo de cartela e contraste. Então ninguém fica sem! Até porque, tem azul marinho, rs. Eu sei que 250,00 reais não é pouco dinheiro. Mas algumas destas custam menos de 200 reais, o que já passa a ser bem vantajoso, para um material como a seda. Eu às vezes costumo conseguir mais baratas em outlet. Já comprei por 94,00 até! Só exige disponibilidade para ir até lá e um bom tempo para garimpar. Já quem não puder fazer isso pode ficar com as lojas online mesmo. 

A própria Amaro, que é uma loja habitualmente bem acessível, só tinha uma blusa abaixo deste preço de corte que eu estipulei. As demais passavam dos trezentos reais. Isso é só para vocês verem como pode ser cara uma blusa destas. Mas se você acha que pode servir para você, tanto quanto serve para mim, vá em frente e aproveite! Muitas dessas estão com preço de liquidação

Sempre bom lembrar que não é algo fácil de cuidar também. O ideal e que se lave a seco ou à mão, pelo menos. E mesmo assim é importante ver as instruções de cuidado, porque nem toda seda pode ser lavada à seco. Outra coisa muito importante é observar a etiqueta de composição na hora da compra (aquilo que eu sempre falo). Muitas vezes as pessoas chamam de seda algo que seja uma crepe ou cetim – que não necessariamente é composta por seda. Mesmo que o vendedor chame de seda, leia a etiqueta interna. O que acham deste tipo de blusa? Vale o que custa?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS