19/02/2018

Ai eu amo esse começo de ano com tapete vermelho quase todo fim de semana! Desta vez a premiação foi do outro lado do oceano, na Grã-Bretanha, com o Bafta 2018. Novamente, todas (ou quase) foram de preto em protesto aos assédios sexuais e à desigualdade de gênero na indústria. Essa parte é ruim para comentar coloração, mas a gente perdoa porque a causa é muito mais nobre do que qualquer análise cromática, claro. Vamos aos meus favoritos e já aviso que teve muita coisa boa nessa edição:

Começando por Saoirse Ronan. Estou amando a temporada dela no tapete vermelho. Ela podia ser candidata a prêmio todo ano, inclusive Grammy! Em 2016 ela vestiu meu look favorito do Oscar. Hoje, ela foi ainda de preto, com o meu look favorito do Bafta 2018. É um Chanel um tanto exótico (a maioria hoje em dia é, né?). Apesar da excentricidade, eu amei esse look que mistura plumas, transparência e outras coisas não-identificadas. Vestiu muito bem! Ela é bem longilínea, então segura fácil estas segmentações da silhueta. Numa pessoa mais “compacta” eu já não recomendo. Muito embora a monocromia ajude a manter tudo mais proporcional. Claro que se não fosse preto seria bem melhor para ela… Já até fiz um toscoshop no Instagram, só para meu próprio entretenimento:

Mas força no Time’s Up Saoirse! Continue assim!

Angelina Jolie, na minha humilde percepção, é uma das celebridades que carrega melhor o preto. Claro que o contraste ajuda bastante… Mas Talvez ela tenha um pezinho nas cartelas de inverno. Não sei. Mas eu sei que eu gosto. Ainda assim, senti falta de um batonzinho. Dito isso, achei a modelagem linda e vestiu na medida. Ontem ela apareceu com um Elie Saab que a engoliu (será que está mais magra que as modelos?). Adivinhem de onde é essa beleza? Ralph & Russo, claro.

 

Anya Taylor Joy, eu mal sei quem você é, mas poucas vezes vi alguém tão bem nesse perfil da Dolce & Gabbana – que já é um tanto batido, inclusive. A beleza dela combina muito com essa coisa de realeza gótica. Se eu fosse mexer em alguma coisa, teria feito o traço do delineador mais para dentro, porque ela tem os olhos um pouquinho separados. Por conta disso, o delineador de gatinho precisa de uma pequena compensação. Tirando isso, ostentou no Bafta uma figura indefectível. E essa cor de cabelo é minha nova obsessão. Que colosso! Vai ter gente ganhando ela no Manual da consultoria…

Emma Roberts fez uma escolha interessante. É um Schiaparelli que mexe um bocado com as proporções mas que no fim saiu harmonioso. A fenda ajuda a atenuar o comprimento ingrato (para ser grato, eu subiria uns 5 dedos). Além disso, a ombreira surrealista rendeu alguns centímetros ali. Gostei! Um híbrido de conceitual e clássico.

Quase que Jennifer Lawrence não entra na minha lista. Mas seu Dior é algo tão bem cortado que eu não poderia ignorar. Olha que modelagem! E este tecido passado pessoalmente pelo espírito de Black&Decker? Na verdade o que me incomodou mesmo é o cabelo boi-lambeu. E talvez eu não tivesse feito essa manga em branco. Nude eu teria preferido. Mas se tivesse rolado um rabo-de-cavalo qualquer, eu já me dava por satisfeita. 

Lupita Nyong’o nunca é entediante. Adorei a modelagem do seu Elie Saab – que ficou surpreendentemente proporcional, apesar desta parte armada no quadril. Notem que ela está saradíssima e com uns deltóides mais saltados que o habitual (me ensina amiga!). Acho que toda a ginástica do Pantera Negra contribuiu nisso! Adorei.

Adorei Naomie Harris de Zuhair Murad! Na passarela esta túnica era um vestido com forro normal. Mas com a calça a coisa toda ficou muito mais interessante! Adorei a composição que saiu do óbvio e ainda ficou lindo! Vale para a gente repensar aqueles vestidos que ficam apertados no quadril, rs. [Eu sempre].

Salma Hayek tem um corpo difícil de vestir – apesar de ser um corpaço! Isso porque ela é mignon e tem bastante busto. Mas se você é como ela, eu tomaria este Gucci como referência. A cintura ficou super valorizada e a flor ainda criou um ponto focal no lugar certo. O que a gente nota primeiro é a cinturinha e a silhueta ampulheta. Esse ombro mais avantajado poderia ter deixado a silhueta um pouco triângulo invertido? Talvez. Mas sinto que as pedrarias traçando a linha do ombro ajudaram a equilibrar visualmente a proporção. E decote em “V” é o melhor dos mundos para ela – até para o rosto.

Se eu tiver direito a um segundo favorito no Bafta, acho que Gemma Arterton e seu Alberta Ferretti levam a faixa. Primeiramente, olha este contraste! Eu sei que não é justo se ela tem a vantagem na coloração, mas eu não consigo ser isenta, desculpa. O batom  então, foi a cereja no topo do sundae. Ela está uma escultura plissada e, por algum milagre ou tecnologia, a silhueta está perfeita. Amei! Uma diva moderna.

Acho que agora o próximo é o Oscar mesmo. Imagino que a onda preta vá seguir em frente – e tem todo meu apoio e admiração. Aliás, se você sentiu falta de Kate Middleton nesta lista, já sabe o que aconteceu… Se ela pode boicotar, eu posso retribuir, rs. E sei que tem todo um protocolo, e eu solidarizo, mas existem coisas que não é questão de politicagem, né? Enfim, melhore Buckingham. Qual é o favorito de vocês neste Bafta? Sentiram falta de mais alguém?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

16/02/2018

Tendencia boina

Talvez seja cedo para falar de algo tão tipicamente invernal… Mas em meio às semanas de moda gringas fica difícil esperar, rs. E a verdade é que logo vão tirar o horário de verão de mim (snif), então é melhor arrancar logo esse band-aid. Se fala em boinas desde o ano passado, com os desfiles de inverno 2017. Talvez na época ainda fosse algo mais quepe do que boina, muito embora eu considere as duas parte da mesma onda. E ao que parece, a tendência foi direto da passarela para as ruas:

  

Nos registros de street style desta semana na NYFW ficou difícil não notar a onipresença da boina. Alguns diriam que é pelo frio, mas a gente sabe que nunca é só isso… Cá entre nós, eu adoro e acho um charme. Inclusive, acho uma lástima que a gente não use tanto chapéu no Brasil. Eu entendo que modelo de lã fica mais difícil no nosso habitual clima tropical. Mas eu tenho uma de tricô que super funciona e já usei um bocado por aqui (em julho, abafa). E em viagens ninguém me segura:

Tendencia boina Tendencia boina

Por acaso essas imagens também foram feitas numa NYFW há anos (pelo gênio Leo Faria – impossível ficar mal na foto dele, juro). Quem olha a serenidade na face não sabe o frio da p***** que estava fazendo, rs. Mas chega deste momento biográfico, até porque é coisa antiga. Para mim, a pioneira da boina de 2017/2018 é a Camila Coelho, ainda na fase do quepe:

Tendencia boina

Vai dizer que não fica um lindo e elegante? E muda o look completamente (apesar de eu não saber como equilibrar um quepe na cabeça ainda). Mas se a NYFW e Camila não são chancela suficiente para você, então veja o que os deuses têm a dizer sobre isso:

Até a rainha incorporou no último Grammy. Tudo bem que a boina para Beyoncé não é só estética, já que carrega simbolismo dos Black Panthers… Além de outros movimentos revolucionários. Sem contar que foi em pleno Time’s Up, com todo mundo de preto. Mas seja em referência aos anos 70 americanos, às francesas de muitas eras ou apenas pela tendência, não tem como negar o charme do acessório, né? Por isso, no primeiro sinal de outono eu devo usar a minha e aposto que não estarei sozinha. Mas e você com isso?

Todo o objetivo deste post é falar sobre como a tendência da boina se encaixa na sua vida (se quiser). Digo isso porque agora todas vocês já devem estar um bocado familiarizadas com os formatos de rosto. E assim como todo acessório, existe um melhor jeito de usar, dependendo das suas características:

As ilustrações são da Emma Block

Se vocês observarem, existe uma lógica bem evidente por trás destas recomendações. É tipo colocar volume onde falta ou chamar atenção para outro lugar. Quando você percebe, consegue decidir sem ter que ler o que eu escrevi, rs. Mas vale rever a descrição de cada formato no post do tipo de rosto, já que a ilustração não fala por si só. Quem preferir uma ajudinha, um dos pacotes que eu disponibilizo é justamente o manual do rosto, que aborda essa parte (e é online). O que acham da boina? Entra no seu armário ou não?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

12/02/2018

Eu sei que ainda estamos no meio do Carnaval, mas é bem possível que já tenha gente precisando deste post. Já tive uma boa dose de glitter na minha vida e sei bem as delícias e os suplícios que essas partículas brilhantes trazem para nossas vidas. Glitter é pura alegria, até que chega a hora de tirar. Então, resolvi dar uma ajudinha com truques para remover o dito cujo da maneira mais fácil, de pele, cabelo, unha e até roupa.

Se você clicou neste post é bem capaz de você estar com glitter até nas vias respiratórias. E isso é normal… Ou pelo menos comum. Mas se você ainda não está nesse ponto e pretende se maquiar com o brilho ainda, saiba que vale planejar a retirada antes mesmo da aplicação: se você jogar diretamente sobre a pele, vai ficar mais difícil de tirar. O truque é aplicar com algum produto em gel, de preferência a base de óleo como o de oliva, por exemplo. Um ótimo truque é usar aquele gel pós-sol de aloe vera para aplicar. É melhor que vaselina (que é muito grudenta), segundo a maquiadora Jess Cheetham, mestre do glitter.

Mas se agora é tarde e o glitter já se incorporou ao seu DNA, ainda tem salvação. A pior coisa que você pode fazer é usar um lenço umedecido. Ele só espalha tudo. O truque é passar óleo de coco na pele primeiro e só depois usar o lenço umedecido ou uma esponja. Aliás, óleo de coco é unânime nas recomendações para remover glitter (e unânime no resto todo também, né? O bicho é bom pra tudo!). Na falta do óleo, use um demaquilante bifásico. Eu recomendo o Bi-Facil da Lancôme. Amor eterno! Inclusive, perdi o meu e agora vou comprar outro.

Sobrou glitter mesmo assim depois disso? Tem mais dica. Basta enrolar um durex (fita adesiva para os técnicos) nos dedos e ir capturando os danados. Funciona e não é uma dica que se aplica só ao carnaval. Se você usar glitter na maquiagem durante o resto do ano, é ótimo para catar os perdidos que caem da pálpebra. 

Foto via The Beauty Department

A dica do óleo de coco também vale para o cabelo ou barba. Tem que passar o óleo no cabelo todo, espalhar, deixar uns minutos – até porque, já que você tá fazendo o processo, serve para hidratar também, né? Depois é só enxaguar com água quente (não precisa ser escaldante, rs). 

Já para o glitter na unha, a solução é meio que uma geringonça mas funciona. O truque é embeber um pedaço de algodão em acetona, colocar sobre a unha e embrulhar com papel alumínio. Espera uns 5 minutos já pode tirar. Dá trabalho, mas sai tudinho! Esse eu já fiz e posso atestar. O único glitter que não sai fácil nem com isso são aqueles esmaltes de glitter quadrado grande. Esses eu não uso nunca mais! É um pesadelo. Mais fácil esperar a unha crescer, rs.

A dica bônus é para tirar glitter da roupa. Aviso: eu nunca fiz isso antes! Mas a dica está na InStyle, então acho que é relativamente confiável… Aparentemente, o melhor jeito de tirar glitter da roupa é borrifar spray de cabelo. Isso mesmo, laquê! Achei inovador e a promessa é que tira tudo mesmo. Segundo a publicação, você deve borrifar o spray na peça de roupa e lavar separadamente, para o glitter não ir para as demais roupas da máquina. Se você quiser lavar na mão, eu não vejo porque não… Mas eles falam de máquina mesmo. 

Só vamos lembrar de dar preferência para o glitter biodegradável, ok? Pensem que todo esse glitter desce ralo abaixo no fim do carnaval e vai parar nos oceanos. Se você não liga para o meio-ambiente, pelo menos pense que você não vai querer isso no seu sushi… E depois de tentarem essas táticas, me dêem feedback, já quem nem todos os truques são meus e eu quero saber se funcionou, rs.

Beijos,

gabi