ANÁLISE CROMÁTICA ONLINE. FUNCIONA?

Consultoria de Imagem
03/07/2018

Acho que a pergunta que eu mais recebo em mensagens ou e-mails é se eu faço Análise Cromática online. Como minha terra natal é a internet é bem comum cruzar com pessoas dos 4 cantos do mundo – sobretudo porque nós, brasileiros, somos os maiores colonizadores do mundo pós-colonial, rs. Essa é uma das partes mais legais de trabalhar como eu trabalho mas, ao mesmo tempo, a distância acaba inviabilizando alguns serviços. Afinal, a Análise Cromática online funciona?

 

Eu não acho que estou em posição para determinar o que vale e o que não vale para toda uma classe. Ainda assim eu tenho duas colocações. A primeira é: eu não faço. Por que eu não faço? Seria ótimo para mim. Poderia trabalhar de casa, cobrar mais barato e atender muito mais gente… Coloriria o mundo dos meus sonhos (ou quase isso). Só que eu não acredito que funcione. Eu sei que tem muita gente que oferece este serviço e eu não julgo. Acho que dá para acertar sim à distância. Meu problema com isso não é a chance de acerto, mas a chance de erro

Me digam vocês… Quando a gente faz Análise Cromática, tomamos certos cuidados.  É preciso neutralizar as cores da cliente com capa e até touca em tecido cinza neutro. A luz tem que estar na temperatura e intensidade certas. Ou seja, tem que ser feito na luz do dia e não em qualquer horário. Se feito com luz artificial, as lâmpadas têm que simular a luz do sol, com temperatura acima de 5500K e IRC (Índice de Reprodução de Cor) acima de 91 numa escala de 0 a 100. As lâmpadas domésticas costumam ter um IRC de 80.

Além disso, a cliente tem que estar de cara lavada. Vamos supor agora que você consiga uma câmera que consiga reproduzir as cores e as luzes exatamente como elas são ao vivo, nestas circunstâncias, sem variar exposição ou cor dependendo do ambiente. E ainda que a compressão no envio do arquivo não altere em nada a imagem. A Análise Cromática Online te parece algo factível de forma infalível?

Eu não diria nem que são a mesma pessoa… Quem dirá da mesma cartela!

Não estou dizendo que é impossível acertar um diagnóstico. Mas também é impossível garantir um, pela minha experiência. A maioria dos diagnósticos online são feitos baseados em estereótipos ou achismos, como a falácia da cor das veias. Os estereótipos ajudam sim. É como eu me oriento muitas vezes quando dou meus palpites sobre as celebridades aqui ou no Instagram. Só que quanto mais eu faço Análise Cromática, mais me deparo com pessoas fora da tal caixa. Sardas que não são de estações quentes… Pessoas de pele bem bronzeada que são de cartelas inclinadas ao frio… Ou seja, pessoas que eu muito provavelmente teriam no mínimo me deixado bem dividida na Análise Cromática Online.

Já cheguei a palpitar que a Isabella Santoni era de estação opaca… Mas depois eu soube que ela é Primavera Pura (Quente e viva, rs). Até hoje, ao olhar esta foto, eu fico balançada. Mas eu sei que meu pitaco virtual não é nada perto da Análise ao vivo, que é a verdadeiramente confiável.

Eu tenho sim um pacote online (em breve, dois!) que abordam a coloração mas que usam o contraste como ponto de partida. O que é diferente de um diagnóstico de cartela de cores. Dá para sugerir mudanças com propriedade, sem arriscar um erro brutal. E o que eu sugiro para aquelas que não têm consultoras habilitadas na sua cidade é usar recursos assim, que não tem erro. E para quem tem, procure um profissional de confiança e faça ao vivo. É melhor fazer uma só vez e fazer direito do que ficar arriscando ou pior: investir na cartela errada. O que acham?

Beijos,

gabi

LOOK DO DIA :: FASHIONISMO 10 ANOS

Estilo
21/06/2018

Há alguns dias estive numa festa maravilhosa, para celebrar uma ocasião ainda melhor: os dez anos do Fashionismo, blog da espetacular Thereza Chammas. Além de ser a melhor blogueira, ocorre de ser uma grande amiga minha e excelente ser humano. O Fashionismo tem um background 100% ligado à moda (como o nome sugere) e à faceta mais glamurosa deste universo – que é a melhor parte, convenhamos. Por isso, a celebração tinha como tema “brilho“!

Fotos :: @Fotovitor – Vitor Fernandes

A festa aconteceu no rooftop do hotel Laghetto na praia da Barra aqui no Rio e todo mundo caprichou bastante. Brilho não é problema para mim (ou para a minha cartela, felizmente). Pelo contrário! Eu uso brilho no dia-a-dia. Meu cardigã de lurex merecia seu próprio RG e CPF de tanto que uso. Mas como fazer diferente quando o brilho já está no seu cotidiano? Ao invés de paetês ou lurex, resolvi abordar o brilho de outra forma: com veludo. Ou melhor, com veludo e cor! E não qualquer cor, pink

Vestido: Zara | Sandália: Pé de Anjo

O rosa pink de inclinação fria é uma das cores da minha cartela que eu mais gosto. Além disso, é quase a cor tema do Fahionismo. Por isso, não tive dúvidas quando cruzei com este modelito na Zara (na verdade tive sim, mas depois pareceu destino, rs). E a verdade é que veludo seria um jeito inusitado de vestir brilho. Mais sorte ainda foi que o vestido é de comprimento midi – meu favorito, pelo menos para mim mesma.

Muita gente acha que midi é só para gente alta mas é mais uma questão de ajuste de altura do que de ser midi ou não. Lembrando que não é tanto mérito de altura, e sim de proporção. Se você é baixa e longilínea, não precisa compensar muita coisa. E vice-versa. No meu caso, gosto de usar a um palmo (fechado) ou dois do meu joelho. Abaixo disso acho que me achata demais. Acima disso eu prefiro numa versão mais justa, tipo saia lápis – bem Mad Men.

A vantagem deste modelo é que ele tem uma manutenção facíl, tem uma cor boa para mim, veste super bem e ainda custou R$199,00. Preço amigo! Minha dúvida era se eu iria usá-lo muitas vezes depois disso. Manga longa e veludo no Rio de Janeiro não é algo que funciona o ano todo, rs. Mas vou aproveitar bastante enquanto houver frio…

Brinco: Asos

Eu já falei aqui pelo menos uma vez sobre o combo verde e rosa. Não tem nada a ver com a Estação Primeira de Mangueira, mas é minha dupla cromática favorita. É linda, é inusitada, é feminina e ainda cai super bem para a minha coloração e contraste se for em tons assim. Vale lembrar que no círculo cromático de pigmentos o verde é complementar ao magenta, que é tipo um rosa pink mesmo. 

Eu já tinha mostrado esse pedacinho no Instagram, com um pouco da maquiagem e do brinco. Eu adoro este brincão verde. Ele é da Asos, comprei numa época que foi tendência mas acabou encaixando no meu acervo permanente, rs. Casei com essa bolsa de acrílico antiga, também verde. Nos pés, muita gente talvez recorresse ao preto ou nude. Eu aproveitei a temática da festa para incorporar um prata. Lembram que eu sempre digo que metalizado vale por dois? É porque combina com tudo – inclusive verde e rosa. Já na maquiagem, para não ficar muito casadinho, coloquei um batom meio uva, o Pausa para Selfie da Maybelline. Bem Ultraviolet, né Pantone? Gostaram?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

LOOK DO DIA :: SAIA LÁPIS INFORMAL
LOOK DO DIA :: MAC WORLD AIDS DAY
LOOK DO DIA :: SHORT + SALTO
LOOK DO DIA ::: PALESTRA OUTUBRO ROSA

MAIS UM MOTIVO PARA FICAR ATENTA À SOBRANCELHA

Consultoria de Imagem
15/06/2018

Caso alguém ainda não tenha notado, tenho uma pequena obsessão com sobrancelha. Se o cabelo é a moldura do rosto, a dita-cuja é a moldura do olho e, talvez por isso, até mais importante. Acho que eu preferiria ficar careca a ficar sem minhas taturanas (sou apegada). Mas além da minha relação de dependência emocional com a minha própria sobrancelha, existe uma questão mais racional por trás disso. Já falei sobre como ela interage com o contraste, lembram? Mas tem mais uma questão vital em torno disso…

Isso não é tão relativo quanto o contaste individual e sim mais uma questão geral de coloração: com a idade a sobrancelha vai ficando mais rala e menos pigmentada. O mesmo processo que acontece com a boca (e que não à toa desencadeia uma enxurrada de preenchimentos). Por isso, é comum o nosso cérebro associar uma sobrancelha muito clarinha a mais idade. Sobretudo quando há um descompasso com os demais elementos de contraste. Se você tem pele clara, cabelo escuro e sobrancelha clara, o efeito é acentuado. Talvez por isso a gente tenha observado um boom nas micropigmentações e afins.

Qual lado do rosto de cada uma destas mulheres parece mais jovial para vocês? Qual lado tem mais ou menos vitalidade? A meu ver, as sobrancelhas mais pigmentadas passam uma imagem mais com mais energia e viço (a palavra que eu mais uso? rs). O efeito é menos sentido em loiras de baixo contraste, claro, afinal é menos discrepante. Mas mesmo em negras sinto uma bela diferença. E como eu falei lá em cima, não é só questão de “idade”. Além da jovialidade, a sobrancelha mais marcada traz uma energia para o rosto. O mesmo efeito de um blushsaúde” ou um lip balm com cor. 

Isso quer dizer que quanto mais pintada melhor? Claro que não. Mas isso serve de lembrete para ficarmos mais atentas. Principalmente agora, no inverno, quando nossos cabelos ficam naturalmente mais escuros. E se você passar maquiagem, por mais básica que seja, não esqueça de maquiar a sobrancelha também. Afinal a maquiagem vai destacar os demais traços, fazendo a sobrancelha se apagar um pouquinho relativamente. Isso sem contar o efeito da base. 

  1. Pincel 212 | 2. Paleta Benefit | 3. Sombra Carbon | 4. Gel de crescimento Marina Smith | 5. Lipocils | 6. Paleta Quem Disse Berenice? | 7. Paleta Eudora 

Para pintar a sobrancelha eu uso o pincel 212 da MAC com um pouquinho da sombra Carbon bem esfumada. Ela é pretérrima – mas meus fios também. Para qualquer outro humano talvez seja melhor um marrom acinzentado ou bege escuro, rs. De qualquer forma eu recomendo usar produtos em mesmo, que acho que esfumam melhor numa área com pelos. Selecionei algumas opções para quem está na busca ou pelo menos considerando, rs. O que acham?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

MICROPIGMENTAÇÃO :: É PARA VOCÊ?