30/01/2018

Dentre os pedidos de posts que eu recebo, uma boa parte é perguntando sobre questões em torno do formato de rosto. Se vocês observarem, não falo muito sobre isso no blog. Não é que eu não tenha interesse ou qualquer coisa assim… Mas para formato de rosto sinto que o diagnóstico é mais complexo (o que não quer dizer difícil). No tipo físico são apenas 5 variantes, supondo que a pessoa não tenha mais de uma demanda de proporção. Já no rosto, são 9 formatos! As chances de um post levar alguém a fazer besteira são bem maiores. Isso sem contar que todo mundo sempre acha que tem rosto redondo, rs. Por isso, tenho cautela extra. Mas recentemente vi um post do Refinery29 sobre a risca do cabelo que achei que dava para compartilhar:

Antes | Depois

Eles chamaram um cabeleireiro para mudar a risca do cabelo de algumas mulheres e não muito mais que isso. Quem é minha cliente já deve ter recebido no manual alguma informação sobre isso, ou uma sugestão de penteado. Muitas vezes comento sobre a risca do cabelo. Neste caso, ele considerou alguns fatores mais cabeleireirísticos (#neologismo), como os redemoinhos e sentido do crescimento. Ainda assim, eu diria que acertou bem no quesito proporção de boa parte delas…

Antes | Depois 

Antes | Depois 

Antes | Depois 

Eu achei todas essas transformações bem-sucedidas. As mulheres ficaram mais sofisticadas e com mais harmonia, não acham? E isso foi só mudando a risca do cabelo de lugar. Eu mesma tenho total consciência de que sou outra pessoa dependendo de como uso o cabelo. Observem que diferença brutal:

SOCORRO. Melhora um pouco se botar uma parte atrás da orelha, rs.

Jogadão (e só fica assim para esse lado)

Boa moça (que eu adoro)

Se eu usasse meu cabelo repartido ao meio, apesar de eu ter o rosto oval (que é proporção ideal), sinto que ele fica muito achatado em cima. Isso porque meu fio é liso na raíz e ondulado na ponta. Por isso eu busco sempre jogar ele para o lado e até manter sem risca do cabelo visível. Ou, alternativamente, faço o cabelo que eu chamo de “boa moça“. Até fiz um videozinho no Instagram mostrando como eu faço. Ninguém deu muita bola para ele porque parece um tutorial bobo. Mas a intenção era justamente falar sobre a mudança no visual, com tão pouca intervenção!

Eu não sei se conseguiria resumir todas as recomendações em algum post um dia. Minha sugestão é que vocês vejam esses exemplos acima e simplesmente experimentem sair da rotina e fazer umas tentativas diferentes com a risca do cabelo. Saiam um dia com uma versão diferente e observem as reações (incluindo a sua própria). Pode ser que vocês mudem de penteado… O que acham?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

Muita gente não sabe dizer exatamente qual é a diferença entre uma consultora de imagem e uma personal stylist. O que nem é o pior dos cenários, já que a maioria das pessoas nunca sequer ouviu falar em Consultoria de Imagem, rs. E sim, estou tentando reverter isso aos pouquinhos… Mas pelo menos a distinção entre esses dois eu posso esclarecer já. Consultor e personal stylist são a mesma coisa?

CONSULTORIA DE IMAGEM X PERSONAL STYLIST 

A resposta curta é não. A resposta longa mostra que existem muitas similaridades e um mesmo objetivo. O que muda é o método e o que você recebe de cada um, resumidamente. O personal stylist é alguém que, como o nome sugere, elabora um estilo para você. Outra parte do trabalho deste profissional é selecionar as peças por você. O stylist define a imagem que você vai passar ou quer passar e traz soluções prontas. 

CONSULTORIA DE IMAGEM X PERSONAL STYLIST

Já a Consultoria de imagem trabalha com mais técnica: análise cromática, análise de estilo pessoal, de tipo físico e de rosto. A partir das análises técnicas, ela elabora linhas guias para você aprender a atingir um determinado visual. O personal stylist pode ter algumas noções destas técnicas, assim como a consultora precisa saber elaborar looks, saber truques de styling, fazer boas compras e a pensar fora da caixa um pouquinho – até porque parte do serviço inclui personal shopping e montagem de looks.

 

Tipos Físicos

É possível que você precise da ajuda dos dois profissionais? Sim. Algumas atividades se sobrepõem, claro, mas não quer dizer que ambos façam a mesma coisa. Num mundo ideal, temos a Consultoria de Imagem ajudando no diagnóstico e a personal stylist fazendo um garimpo cotidiano das peças que atendem a este fim. Você pode ter alguém te ajudando a revelar sua personalidade e melhores traços e também alguém que corra atrás das peças para você. Quem tem a vida muito atribulada ou quem não curte ter que lidar com isso (existem pessoas assim e tudo bem) pode delegar a parte mais prática da consultoria ao final do processo. 

 CONSULTORIA DE IMAGEM X PERSONAL STYLIST

Quais as principais vantagens de cada um? O personal stylist traz soluções prontas para você, roupa e looks. A desvantagem é que você tem uma certa dependência do profissional e não talvez não tenha uma solução totalmente customizada para seus traços e gostos. É importante achar alguém alinhado com a sua personalidade. Lembram da Anitta tropeçando de um estilo para o outro no início da carreira? Demorou até a coisa engatar certeiro. Já na consultoria o gosto pessoal não influi tanto porque se respalda muito na técnica (claro que o ideal e ter alguém com que você se identifique, mas é menos fundamental). Além disso, o Consultor de Imagem tem mais ferramentas para definir elementos de beleza. Cabelo, maquiagem

CONSULTORIA DE IMAGEM X PERSONAL STYLIST

Análise Cromática

É possível que um profissional consiga lidar com as duas áreas? Sim. Uma pessoa pode atender nas duas áreas. Eu mesma faço alguns serviços avulsos de styling. No entanto, busco atender apenas quem já é minha cliente. Assim eu tenho mais repertório. Fazer só o personal styling não é muito a minha praia. Mas eu imagino que tenha gente que possa fazer os dois. Com uma clientela fixa talvez seja mais fácil conciliar.

Deu para compreender um pouquinho mais das similaridades e diferenças das duas profissões? Ou, mais importante, conseguiu identificar qual atende mais a sua demanda? Bom mesmo seria ter os dois, né? Sucesso garantido com nenhum esforço (exceto o financeiro, né), rs.

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

Uma das principais coisas que me perguntam quando falo sobre Análise Cromática é se a cartela de cores pode mudar ao longo da sua vida. Eu entendo a preocupação, principalmente quando a pessoa tem medo de receber uma cartela com cores que não gosta. Além disso, não é um serviço barato para ter que ficar fazendo o tempo todo. Por isso, a boa notícia é que a sua cartela vale para a vida toda! Isso quer dizer que sua coloração não vai mudar de forma nenhuma? Não exatamente…

Analise cromatica cartela de cores

A sua estação da Análise Cromática é sua para o resto da vida. Eu vou ser Inverno Puro (Frio, Verdadeiro em outras nomenclaturas) até eu morrer – e quem sabe até por um tempo depois, rs. Mas supondo que eu decida ficar loira. Ou que eu resolva ficar grisalha em algum ponto da minha vida. Ou ainda que eu queira ficar bronzeada daqui para frente… A cartela não mudará. Mas e o contraste

Não se esqueçam do contraste! Se a Xuxa pintar o cabelo de preto amanhã (não recomendo) esta dimensão vai mudar completamente. Mas ainda assim, a sua cartela de cores não vai mudar. Ou seja, análise cromática pode ser feita uma vez só e fim. Por isso eu acho que o investimento vale tanto a pena. 

Por outro lado, se você já fez mais de uma Análise Cromática e o resultado saiu diferente em uma delas, algumas coisas podem ter acontecido. A principal coisa que pode acontecer é uma atualização da metodologia. Quando eu comecei eram apenas 4 estações. Hoje, são 12 cartelas de cores disponíveis no método sazonal expandido. A mudança se deu à inclusão dos tons neutros na roda de cores. Antes eram todos guiados pela temperatura em primeiro lugar. Hoje existem outras opções de característica predominante, desde que o subtom da pessoa seja neutro. Então considere que há mais de um sistema de análise. 

Outra possibilidade é que alguma Análise Cromática esteja errada. Por isso é muito importante fazer o seu teste com um profissional de confiança e experiente (se possível). Não é uma tarefa fácil fazer um diagnóstico de cores. Então erros podem acontecer, sobretudo com os menos treinados. Escolha com sabedoria.

Sobre o contraste, caso o seu mude, basta migrar dentro da sua própria cartela de cores para tons que coordenem melhor com seu nível de contraste do momento. E não esqueçam que vale para maquiagem, roupa, acessórios e tudo o que está próximo ao rosto. Tem mais dúvidas sobre Análise Cromática? Pergunte nos comentários!

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS