07/01/2019

Rolou esta noite o Golden Globe 2019, a primeira grande premiação do ano e o primeiro tapete vermelho que exige um post, rs. O que eu mais gosto dessa festa é que ela reúne não só os melhores do cinema mas também os da televisão – território em que eu ando bem mais ativa. A festa não decepcionou e nos trouxe alguns looks memoráveis. Separei aqui alguns dos meus favoritos com direito a comentários técnicos que explicam um pouco de cada produção:

 

Penelope Cruz estava uma visão no seu Ralph & Russo. Sabem quando eu digo que a maioria das pessoas não fica muito bem de preto? Acredito que Penelope não faz parte desta maioria. Quando a vi na TV com esse vestido ela estava radiante. Além de tudo, tem um laçarote de veludo preto no verso… Nada como um Ralph & Russo para abrir o post do Golden Globe! 

Sandra Oh foi não só a apresentadora do Golden Globe, como ganhou o prêmio de melhor atriz na sua categoria por Killing Eve, que protagoniza. Onde eu posso ver esta série sem piratear? Alguém sabe? Este Atelier Versace caiu como uma luva! Quando eu digo que drapeado é o melhor amigo da mulher, não é exagero, rs. Há poucos dias postei no Instagram sobre orientais e pele fria, o que faria do branco uma boa opção. Não sei se é o caso da Sandra Oh mas não descarto a possibilidade, já que ela ficou bem linda. Sem contar que o contraste estava na mosca.

Falando em contraste, eu sei que a maioria de vocês rejeita looks de baixo contraste… Principalmente em branquinhas. Já eu digo que é justamente em pessoas como Dakota Fanning que é mais fundamental usar cores claras e suaves. Eu adorei seu Armani Privé, que a vestiu muito bem e ainda deixou o rosto dela mais em evidência do que nunca. Uma cor forte demais teria ofuscado os traços dela. Se eu fosse rever algo, seria talvez um tom um pouco menos frio (mas isso é só uma impressão e um palpite).

Lupita Nyong’o é rainha coroada do red carpet e este Calvin Klein corresponde bastante às demandas do título. Franjas e cor! O que mais a gente pode querer? E que cor! E num tom bem simpático para o contraste dela. Sobre o tom, Lupita sempre me deixa na dúvida sobre a cartela dela, então não consigo opinar.

Saoirse Ronan é uma das minhas paixões de tapete vermelho. Eu adoro essa menina! E fico muito feliz que ela siga trabalhando tanto ao ponto de estar nas premiações ano após ano, rs. Esse Gucci de franjas atendeu a todas as minhas elevadas expectativas! O brinco de esmeraldas ajuda um bocado também. Adoro vê-la com essas pitadas de cor. Essa menina é um biscuit fashionista.

Amy Adams achou sua cor neste Calvin Klein. Ficou deslumbrante. Sei que é um tanto minimalista para o gosto popular mas eu achei muito sofisticado e colorido o suficiente para dispensar uma modelagem mais complicada ou tecido elaborado.

Lady Gaga me fez gostar de um look numa cor péssima para ela. Para me fazer superar esse tipo de coisa, não é um vestido qualquer… Seu Valentino lavanda é um colosso – e bem na tendência, rs. Um bolo de noiva que exigiu um salto vertiginoso nela que é mignon. Digno do momento que ela está vivendo (não consigo garantir que não fui influenciada pela minha admiração por Nasce uma Estrela). Aliás, o modelito teria sido uma inspiração de um look similar que Judy Garland usou na primeira versão do filme. Mais um motivo para perdoar a cor. De qualquer forma, o sucesso para mim vai bem além do vestido. Há tempos não era tão impactada por uma jóia como fui por este colar da Tiffany. Que coisa linda! E a cereja no sundae para mim é a maquiagem… Impecável. Amei! 

Essas são minhas escolhas… Talvez eu tenha esquecido alguém, acontece, rs. Mas vocês estão liberadas para puxar a minha orelha. Senti falta de Margot Robbie no Golden Globe. Sei que ela não foi indicada mas espero que ela apareça nas próximas como apresentadora de uma categoria, rs. E vocês? Quais foram suas favoritas?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

19/10/2018

Color-wheel-color-blocking-analise-cromatica

Todo mundo já deve ter notado o retorno feroz de uma tendência fortíssima de uns anos atrás: o Color Blocking. Para quem não lembra, esta é aquela tendência que mistura colorido com colorido num mesmo look, geralmente de cores bem saturadas. Eu não sei se vocês já me viram falar isso por aqui mas eu habitualmente só uso cor com cor mesmo. Essa história de tom saturado com preto ou jeans não é muito comigo não… Acho que as cores se valorizam muito mais mutuamente e que o preto nem é tão versátil assim. Por isso, acho ótimo ver essa tendência ressurgir com tanta intensidade. A verdade é que isso faz a gente romper com antigos tabus de cores. Isso sem contar que já estamos muito mais preparadas para mergulhar nessa história, agora que temos uma reedição em tão curto prazo. Dito isso, como faz para coordenar cores sem escorregar? Ou pelo menos como faz para sair do quadrado sem quebrar muito a cabeça? A dica que eu trago hoje é um aplicativo que tenho indicado para todas as minhas clientes: o Color Wheel

Color-wheel-color-blocking-analise-cromatica

Cores complementares

Tudo começou quando uma leitora me perguntou qual círculo cromático eu usava e eu sugeri que ela baixasse um aplicativo. Quando fui procurar, gostei tanto do Color Wheel que eu abandonei a imagem salva que eu sempre usava. Primeira coisa que eu gostei nele: tem magenta. O magenta é algo que a maioria de nós chamaria de rosa, rs. Apesar disso é a versão mais pura do pigmento vermelho. Em alguns círculos cromáticos o magenta não aparece ou é bem tímido. Eu não dispenso, até porque é uma das minhas cores favoritas (verde e rosa é meu combo favorito, lembram?). 

A segunda coisa que gostei nele: ele dá combinações complementares, complementares divididas e análogas com o toque de um dedo. Além disso, te dá as combinações nas versões mais diluídas, mais escuras e mais puras. Excepcional. Terceira e melhor coisa: o Color Wheel é totalmente gratuito. Você só paga para remover os anúncios, se quiser. 

Qual é a vantagem de ter isso na mão (ou no bolso)? Nunca mais você vai achar que uma cor viva só combina com uma cor neutra. E vai ficar muito fácil ter ideias… Basta girar e experimentar as opcões do círculo cromático. 

Color-wheel-color-blocking-analise-cromatica

Complementares divididas

Minha única recomendação é ficar atenta ao contraste (e à cartela, claro, se tiver feito sua análise cromática). Para pessoas de alto contraste, como eu, a melhor opção é usar cores complementares. Isso porque, tirando o branco x preto, o maior contraste que existe é entre duas cores complementares. Roxo com amarelo, laranja com azul, verde com magenta… Foi onde eu acho que deu errado para a Mariana Ximenes.

Já para contrastes médios, a melhor opção é usar as cores complementares divididas, que dilui um pouco o impacto. Já para quem é baixo contraste, as cores análogas são mais amigas.  

Color-wheel-color-blocking-analise-cromatica

Cores Análogas

Claro que isso tudo depende do tom, certo? Se eu, que sou alto contraste, quiser usar uma mistura análoga, basta eu usar em uma versão escura ou saturada que faça contraste com a minha pele. O mesmo vale para o inverso em uma pessoa de baixo contraste que pode usar versões suaves de cores complementares, como o pastel, acinzentados ou escuros, dependendo do tom de pele. 

Quem quiser baixar o Color Wheel, pode clicar na imagem que já encaminha direto para a app store. Eu não encontrei a versão dele para Android e acho que não existe ainda. Mas isso não quer dizer que não existam outros aplicativos similares para quem não usa iOS e talvez quem é usuária de Android talvez possa indicar uma alternativa melhor do que eu. De qualquer forma, o que vale é ter uma ferramentazinha dessa na mão para sair do quadrado e para otimizar o armário, né? O que acham?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS

16/05/2018

Como é a sua relação com a estampa de oncinha? Na primeira metade da minha vida lembro bem que era um divisor de águas. Um ame ou odeie. E, geralmente, não estava exatamente associada a “bom gosto”. Por conta disso, acho que este animal print sempre carregou um estigma ruim. Era associado a vulgaridade ou falta de elegância. Uma verdadeira injustiça, se você me perguntar… 

Eu vejo a oncinha como um neutro. Não do ponto de vista cromático, é claro, mas do styling. Eu acho que oncinha pode ser um item básico nos nossos armários: preto marinho, branco off-white, jeans e onça. Nesta altura do campeonato você pode estar questionando meu bom senso. Ainda assim, eu acho que oncinha é um grande curinga do armário, sobretudo nos acessórios. Uma boa rasteira ou sapatilha de oncinha vai com qualquer coisa, não é? Inclusive o próprio preto-branco-jeans, com o diferencial de deixar a mistura infinitamente mais interessante. Se eu vivo falando do sapato nude e/ou metalizado, o de onça poderia ser o próximo na sua lista (bem antes do preto, inclusive). 

Este é meu look favorito de todos os tempos de Olivia Palermo. Sério. E olha o sapatinho ali!

Se sapato estampado não é o seu forte, pode ser um cinto ou uma bolsa. Para quem é mais desencanada, pode entrar na terceira peça, por exemplo (eu tenho um cardigã na estampa que eu adoro). Já para as criativas, pode ser a roupa toda ou até um mix de estampas, que eu sou particularmente fã. As funções e variações são inúmeras. Até me encontrei no Google usando estampa de oncinha de várias formas:

Meio girafa, mas ok. Dá para ver pela minha cara o quão antigos são alguns destes looks, né? Então não julguem as tendências da era Cybershot com o olhar de hoje, ok? Só estou mostrando mesmo para provar que é um “façam o que eu digo – e faço”, rs.

A ideia mais versátil e mais fácil de incorporar é um simples lenço. E o bom do lenço é que fica mais fácil ser seletiva por existir muita oferta por aí. Falo em seleção porque não podemos esquecer da principal coisa quando o assunto é estampa de oncinha: o fator Cara de Caro. Eu não consigo enumerar exatamente o que determina o aparente poder aquisitivo de cada estampa, mas acho que o material, a cor e a dimensão das pintas são vitais a se observar. Quanto mais próximos do animal real, melhor. Um sapato com pêlos de verdade, um lenço de seda fosco, pintas irregulares… Algumas das coisas que eu observaria. Fiz uma vitrine para dar uma ideia:

Claro que ninguém é obrigada a gostar de oncinha. Mas quem estiver em cima do muro pode tomar este post como um empurrãozinho, rs. E quem gosta mas não conseguiu incorporar ainda, fica aqui o desafio. Comece pequeno e em breve você vai achar tudo mais óbvio. Fica ainda este depoimento: quando minha cliente tem um sapato de oncinha, este é quase sempre um dos que mais uso montando looks. É versátil mesmo! O que acham?

Beijos,

gabi

POSTS RELACIONADOS